Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

buscas

Polícia confirma que há suspeita que Kauan, de 9 anos, tenha sido morto

Corpo de Bombeiros procurou por corpo na região do Aero Rancho

21 JUL 2017Por RODOLFO CÉSAR E IZABELA JORNADA18h:13

A principal suspeita da Polícia Civil é que o possível corpo que fora jogado na região do Aero Rancho seja de Kauan Andrade dos Santos, de 9 anos. Apesar das buscas, nada foi encontrado e o Corpo de Bombeiros suspendeu o trabalho, para ser retomado neste sábado (22), pela manhã.

Como o local está escuro e a visibilidade está ruim, não seria mais possível fazer as buscas.

"A suspeita que realmente esteja o corpo dessa criança. Mas pelo adiantar da hora o Corpo de Bombeiros achou melhor suspender (as buscas). São investigações que vem sendo feitas por um tempo e conseguimos informações. Precisamos aguardar essa situação concluir para dar mais detalhes. Existe essa suspeita", disse o delegado Paulo Sérgio Lauretto, da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Depca).

Ele confirmou que um homem está preso, mas preferiu não confirmar se é parente de Kauan. Essa pessoa investigada teria repassado a informação que o corpo da criança estaria desovado na região do Aero Rancho.

As buscas começaram na Avenida Campestre com a Avenida Thirson de Almeida, onde passa o Rio Anhanduí. Como não foi encontrado nada, a equipe embrenhou-se em uma mata.

Policiais militares e civis foram para a região também e equipe do Trânsito ficou no endereço para orientar veículos porque formou-se congestionamento.

Um primo da criança, Sonival Freire, foi ao local para conversar com autoridades e perguntar se o garoto havia sido encontrado. A polícia repassou a ele que as buscas serão retomadas na manhã deste sábado.

Kauan, de 9 anos, desaparecido desde dia 25 de junho. Foto: Divulgação

SUMIÇO

Kauan foi visto pela última vez no dia 25 de junho, cuidando de carros na região da Coophavilla, em Campo Grande, juntamente com colegas que voltaram para a casa.

De acordo com a tia Luzinete dos Santos Andrade, 34 anos, no dia do sumiço, Kauan acordou cedo e saiu de casa, no Pênfigo, onde mora com a mãe e o padrasto, para visitar a avó, que reside no Jardim Colorado, não muito distante.

“Ele tomou café da manhã lá, brincou com a irmã e depois saiu para a rua com os amiguinhos, como sempre fez. Ele gostava de ficar na rua soltando pipa e jogando bola. Como conhecemos a maioria das pessoas com quem ele andava, não vimos problema”, disse.

Entretanto, anoiteceu e o menino não voltou. Na manhã seguinte, familiares souberam que ele estava à noite com outros meninos, cuidando de carros na Coophavilla.

Na ocasião, um mototaxista teria se aproximado e os intimidado dizendo que não deveriam estar ali e que acionaram o Conselho Tutelar. Neste momento, as crianças se assustaram e correram, dispersando-se.

“Depois disso ninguém sabe o que aconteceu com ele. Um dos meninos ficou com medo do pai e voltou para a casa com o mototaxista. Os outros foram embora depois, mas ninguém sabe para onde Kauan foi”, lamentou a tia.

A partir daí, a família recebeu algumas informações de que ele teria sido visto soltando pipas na região do Bairro Nova Campo Grande. Até mesmo o chinelo era semelhante.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também