Terça, 12 de Dezembro de 2017

ARMAMENTO NA RUA

Operação do Exército não
encontra arma furtada de oficial

CMO informou que não divulgará detalhes de objetos apreendidos

17 ABR 2017Por MARIANE CHIANEZI19h:06

Foi encerrada hoje a operação conjunta do Exército Brasileiro e Polícias Civil e Militar, desencadeada no último fim de semana em dois bairros de Campo Grande, Vila Nhanhá e Bairro Taveirópolis.

Ação, que tinha como propósito apreender armamento de uso restrito, também procurava por arma, possivelmente uma pistola, que fora furtada de oficial que atua no Comando Militar do Oeste (CMO). Esse armamento não foi encontrado.

Conforme major Marcelo Machado, do CMO, a operação não foi desencadeada por conta do furto da arma de um oficial. Ela estava planejada desde o final da Operação Ágata, que foi realizada em junho do ano passado. Machado confirmou que houve o furto.

Ao Portal Correio do Estado, o porta-voz do CMO informou que os objetos apreendidos precisam ficar em sigilo e por isso não haveria divulgação de balanço.

AÇÃO

Deflagrada na sexta-feira (14), militares realizaram buscas em residências da Vila Nhanhá e Bairro Taveirópolis, na Capital.

Denúncias obtidas pelo setor de inteligência desencadeou as vistorias, que tiveram apoio das polícias estaduais para o cumprimento de mandados. O paradeiro do armamento que era procurado foi descoberto durante a Operação Ágata, deflagrada em junho de 2016.

 

Leia Também