Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

Silêncio

Olarte se cala sobre reajuste dado ao consórcio que coleta lixo em Campo Grande

Diário Oficial indica que o custo mensal do serviço subiu para R$ 14,3 milhões

5 AGO 2015Por 07h:11

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, do PP, não se manifestou ontem sobre o reajuste contratual do município com o consórcio CG Solurb, composto por duas empresas que cuidam da coleta de lixo na cidade. 

O valor do serviço, conforme publicação no Diário Oficial, teve o custo mensal triplicado ao saltar dos R$ 4,3 milhões para R$ 14,3 milhões, no período de dois anos e sete meses (novembro de 2012, quando a concessionária venceu a licitação até junho deste ano).

Além dos telefonemas não atendidos e dos recados deixados em dois aparelhos, Olarte não retornou a ligação.

Os donos do consórcio Solurb, Antônio Fernandes e Luciano Dolzan, também empreiteiros, foram citados na operação Lama Asfáltica, da Polícia Federal, que investiga esquema de corrupção, fraudes em licitações e superfaturamento de obras.

A reportagem quis tratar o assunto também com o staff principal do prefeito, mas não conseguiu. Ligações e recados foram deixados nos telefones celulares de Fabio Castro Leandro (Procurador Municipal), Wilson do Prado (secretário de Administração) e Paulo Matos (secretário de Governo).

*A reportagem, de Celso Bejarano, está na edição de hoje do Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também