Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

Macroanel

Obras que estavam paradas há cinco anos serão retomadas no macroanel

O trecho do anel viário tem 24 quilômetros e duas pontes

30 AGO 2017Por MARESSA MENDONÇA12h:00

A Prefeitura de Campo Grande concluiu o processo desapropriação de duas áreas do macroanel rodoviário, entre as saídas para Rochedo e Cuiabá, e vai retomar as obras no local que estavam paradas há quase cinco anos.

A desapropriação das áreas, uma de 1,2 hectare e outra de 6 hectares, só foi concluída depois de acordo judicial para o pagamento das indenizações que vão custar em torno de R$ 600 mil.

Obras que tiveram início em 2011 serão retomadas e devem ser concluídas em um ano. O convênio de mais de R$ 30 milhões venceu em maio e foi prorrogado por mais 12 meses pelo DNIT. Isto porque havia o risco do município ser obrigado a devolver o montante do convênio.

Segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura, o trecho do anel viário tem 24 quilômetros e duas pontes sendo que mais de 68% da obra já está concluída.

O traçado planejado atravessa 46 propriedades, tendo havido entendimento sobre indenização com 29 proprietários. Das 17 negociações levadas à Justiça, o Judiciário concedeu 15 liminares e garantiu a emissão em favor do município.

OBRAS

Engenheiro fiscal da obra informou, em relatório, que  87,30% da terraplanagem já foi feita ; 63,55% da pavimentação e 72,97% da drenagem, além de terem sido concluídas as duas pontes planejadas (sobre os córregos Botas e Ceroula).

Do valor total previsto para investimento, R$ 26.440.565,17 são de responsabilidade da União, enquanto o Município entra com a contrapartida de R$ 2.827.949,02, basicamente destinada às despesas com desapropriações.

Teve ainda aditivo de R$ 3.836.0971,16, que aumentou o custo da obra para mais de R$ 30,9 milhões. Deste total, já foram aplicados R$ 21.719.181,03 e resta um saldo contratual de R$ 9.198.154,13.

A obra também sofreu atraso por exigência do DNIT, que pediu para a empresa responsável refazer um trecho. Ainda está programada a construção de uma rotatória na MS-010 e outra na BR-163, de responsabilidade da concessionária que administra a rodovia.

O trecho a possibilitará a interligação entre a BR-163 (saída para Cuiabá), MS-080 (saída para Rochedo), BR-262 (em Indubrasil) , passando pelo Núcleo Industrial , BR-060 (ligação com Sidrolândia, Maracaju, Dourados e Ponta Porã) e na outra ponta da BR-163, já na saída para São Paulo, passando em frente ao futuro terminal intermodal.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também