Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 14 de dezembro de 2018

para abril

Nova taxa do lixo está em vigor
e deve arrecadar R$ 59,7 milhões

Para 87% da população, o tributo será de até R$ 200

15 MAR 2018Por DA REDAÇÃO04h:00

Depois da polêmica cobrança da taxa do lixo, que elevou, e muito, o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de Campo Grande em 2018, os números foram recalculados e os proprietários dos 416.894 imóveis passíveis do recolhimento começam a receber os boletos já em abril, para pagamento até o dia 20 do mesmo mês.

De acordo com a prefeitura, 87% da população pagará até R$ 200 pelo tributo. O restante ou é isento, ou pagará mais de R$ 200,00.

A taxa passou a vigorar para pagar parte do contrato da prefeitura com a CG Solurb, concessionária que gerencia os resíduos sólidos na Capital. Dos R$ 85 milhões totais da contratualização, R$ 65 milhões são referentes efetivamente à coleta de lixo. E é exatamente esse último valor que está sendo arrecadado por meio da tributação. 

O secretário de Governo, Antônio Lacerda, explicou que, com a confusão sobre a cobrança no começo deste ano, os três primeiros meses de 2018 serão custeados pela própria prefeitura e que R$ 59,7 milhões devem ser arrecadados até dezembro. 

A partir de 2019, quando a cobrança for normalizada e calculada de acordo com os 12 meses do ano, a expectativa é de que os R$ 65 milhões sejam efetivamente custeados pela população. “Com esses três meses de lapso temporal, a expectativa de arrecadação é menor”, explicou.

GRANDES GERADORES

Os 18 mil imóveis comerciais e industriais de Campo Grande devem pagar R$ 8 milhões em taxa até o fim do ano.

O secretário Antônio Lacerda sustenta que em toda a Capital são 416.894 imóveis que contribuirão com a taxa, dos quais aproximadamente 1% é isento. No entanto, a maior parte da arrecadação esperada para este ano provém dos imóveis residenciais, que somam cerca de 304 mil e devem contribuir com R$ 36 milhões.

*Leia reportagem, de Lucia Morel e Leandro Abreu, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também