Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

CORTES

Município tenta “sair do aluguel”
para economizar

Objetivo é deixar de gastar até R$ 1,9 milhão com medida

26 JUN 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

Na esteira da redução de despesas, a Prefeitura de Campo Grande se mobiliza para “sair do aluguel”. Secretarias estão readequando espaços a fim de transferir setores que hoje funcionam em imóveis alugados para prédios do poder público, medida que pode poupar até R$ 1,9 milhão dos cofres da administração municipal até 2020.

O caso mais emblemático é o da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), distribuída em três imóveis locados. A pasta passará a funcionar na unidade do Bairro Carandá Bosque do Instituto Mirim, o que, de acordo com a titular da Sectur, Nilde Brun, vai gerar economia de R$ 25 mil mensais em gastos com aluguel. Se somadas as despesas com locação entre o próximo mês e o fim da atual gestão, em dezembro de 2020, a contenção chega a R$ 1,05 milhão.

“Hoje, a secretaria está em três locais. Na sede administrativa, no Arquivo Histórico de Campo Grande (Arca) e em um depósito. Além destes, ficaram dívidas com locação de dois prédios, que herdamos da gestão anterior, onde ficava a escola de música e um outro depósito. A ideia é desocupar estes imóveis e otimizar os prédios que a prefeitura tem”, explica a secretária.

*Leia a reportagem, de Jones Mário, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também