Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INSATISFEITOS

Motoristas de Uber protestam contra gestão municipal no centro da Capital

Manifestação durou mais de uma hora e grupo organiza nova carreata

24 JUL 17 - 18h:06NATALIA YAHN

Grupo de motoristas que atuam por meio de aplicativos, como o Uber, protestou hoje à tarde em Campo Grande contra medidas aplicadas pela administração municipal. Em carreata, eles saíram da Avenida Afonso Pena - em frente ao Parque das Nações Indígenas - e seguiram até o centro da cidade em trajeto realizado por aproximadamente 1h30min.

O presidente da Associação de Motoristas de Aplicativos de Mobilidade Urbana de Campo Grande MS (AMU), Wellignton Dias, informou que a categoria é contra as medidas da administração municipal, que dificultam a atuação dos motoristas da modalidade. “Eu participei desde o começo da comissão de regulamentação na Câmara. Nos colocaram numa mesa com cinco representantes de taxistas e mototaxistas, mesmo contra a maioria das coisas fomos voto vencido. Não concordamos com as exigências, maiores do que as impostas pelo próprio aplicativo”. Ele disse ainda que estima a participação de pelo menos 600 motoristas no protesto que terminou às 17h30min.

Entre as imposições está a idade do veículo, de até cinco anos, com a documentação em nome do motorista ou do cônjuge. “A Uber não pede isso, só que o carro seja até 2008, e atualmente podemos alugar para trabalhar. Não faz parte da nossa realidade e não entendemos o porquê disso. Parece que a prefeitura queria dar uma resposta política para as outras categorias, mas do que regulamentar, que era a proposta inicial”, afirmou Dias.

No dia 17 de julho venceu o prazo para cadastramento das operadoras de transporte por aplicativo junto à Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), para prestação do serviço de “carona paga” na Capital. A Uber não fez o trâmite, por isso passou a ser considerada irregular na Capital.

O prazo estipulado para empresas entregarem a documentação, conforme o decreto municipal 13.157, de 16 de maio, era de 60 dias a partir de sua publicação. Como finalizou em um domingo, foi prorrogado para a segunda-feira (17), primeiro dia útil seguinte. Apenas uma empresa se cadastrou, mas não era a Uber. Por isso desde o dia 18 de julho, a Agetran iniciou trabalho de levantamento de dados para verificação de quais empresas de aplicativos funcionam em Campo Grande, para tomar as atitudes cabíveis. Para os motoristas, o prazo vence no mês de setembro. 

Entre as regras impostas às chamadas Operadoras de Tecnologia de Transporte (OTTs), está o fornecimento de dados sobre as corridas à Agetran, disponibilizar serviço de caronas compartilhadas aos usuários que solicitarem o mesmo trajeto e recolhimento de 7% do valor definido por ela para o quilômetro rodado, a título de outorga. Já os motoristas deverão passar por curso de formação, assim como é exigido de taxistas, identificar os veículos, circular somente em carros com até 5 anos de fabricação, em nome deles, e fazer cadastro no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) ou Microempreendedor Individual (MEI).

“Novos protestos devem acontecer. Estamos recolhendo assinaturas para um abaixo assinado. E também um grupo de usuários está organizado uma ação e nós vamos apoiar”, disse Dias.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeito e vice são cassados por abuso de poder econômico
COXIM

Prefeito e vice são cassados por abuso de poder econômico

Mandante de roubo no Centenário pediu saída para terminar TCC
"PRIORIDADES"

Mandante de roubo pediu saída para terminar TCC

Mesmo com caçambas, lixo é descartado irregularmente na 14
14 DE JULHO

Mesmo com caçambas, lixo é descartado irregularmente

Plano Safra dará prioridade ao pequeno e médio produtor
PAP 2019/2020

Plano Safra dará prioridade ao pequeno e médio produtor

Mais Lidas