Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

sob investigação

Motorista de Uber fica ferido e duas pessoas morrem no Carioca

Três veículos teriam perseguido as vítimas e foram feitos vários disparos

27 JUL 2017Por RODOLFO CÉSAR E MARIANE CHIANEZI16h:08

O duplo homicídio registrado em Campo Grande na tarde de hoje, por volta das 15h, foi de dois homens que moravam no Itamaracá e tinham ido ao Jardim Carioca. Uma das vítimas, Reynan Felipe Viana, de Oliveira, 22 anos, tem uma tia que mora em um residencial no bairro.

Reynan e o amigo dele, Maickon Alves Marques, 22 anos, tinham acabado de sair do residencial e pretendiam ir ao Ministério Público Estadual por conta de um homicídio que Maickon foi apontado como suspeito, conforme relatou a tia de Reynan.

Os dois entraram em um Uber e acabaram vítima de uma emboscada. O motorista do veículo, N.M.T, também foi atingido no rosto, ombro e costas.

O crime aconteceu na esquina das Ruas Silvio Aiala Silveira, também conhecida como Visanto, com Zacarias Mourão.

Testemunha relatou à reportagem do Portal Correio do Estado que estava em casa quando ouviu "vários disparos". Ao chegar no portão, viu o Pegeout 207 preto cheio de marcas de tiros. Os homens que morreram estavam no banco traseiro e foi atingidos principalmente no rosto.

O motorista do carro, que trabalha pela Uber, foi ferido e o Corpo de Bombeiros o encaminhou para a Santa Casa.

"Estava em casa quando ouvi um monte de tiro. Foram muitos, não deu para contar", contou a testemunha, que preferiu não se identificar por questão de segurança.

Um dos veículos que participou da perseguição era uma Hilux, conforme relatado por testemunha. Logo depois dos tiros, eles fugiram sentido bairro-Centro.

OUTRO CASO

No dia 23 de julho, Maickon Alves Marques, 22 anos, participou de homicídio ocorrido na Rua Caravelas, no Jardim Campo Alto. A polícia já investiga esse caso.

Junto com advogado, Maickon pretendia apresentar-se à Polícia Civil hoje. Como não foi levada a arma do crime, ele voltaria à tarde.

Depois de Maickon e Reynan passarem na 4ª Delegacia de Polícia, nas Moreninhas, foram para o Jardim Carioca. Conforme relato de testemunha, os dois comentaram na casa onde estavam que perceberam que uma caminhonete preta estaria perseguindo-os.

Quando os dois saíram no começo da tarde de hoje, acabaram executados com vários disparos. Os tiros começaram a ser disparados quando ambos entraram no veículo. O motorista do Uber tentou fugir e chegou a andar por 100 metros. Os atiradores o seguiram e continuaram atirando.

*Colaborou Paulo Ribas.

*Editada às 17h30 para acréscimo de informações.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também