Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

FAVELA HOMEX

Moradores entram com ação para regularizar situação com Energisa

Há denúncias de religamento dos ‘gatos’ no local durante a madrugada

12 JUL 19 - 15h:38ALÍRIA ARISTIDES

Após operação promovida pela concessionária de energia elétrica, a Energisa, em parceria com a Polícia Militar, visando o corte de ‘gatos’ na favela do Homex e moradores afetados bloquearam trecho da BR-163, ação foi realizada na manhã de hoje (12) para organizar ação civil pública para regularização no fornecimento de energia elétrica. Há denúncias de religamento das ligações clandestinas no local durante a madrugada. 

Equipe da Defensoria Pública esteve no ponto de bloqueio ontem e, após diálogo, convenceu os manifestantes a liberarem o fluxo de veículos, além da propor coleta de material que possam dar subsídio para entrada da ação. O desligamento das ligações clandestinas ocorreu no bairro Centro Oeste .

O defensor público e coordenador do Núcleo de Defesa do Consumido, rHomero Medeiros, afirmou que a ação realizada na manhã de hoje é continuação dos trabalhos iniciados ontem. “Estamos vendo a população, a quantidade de idosos, deficientes, pessoas que dependem do uso da energia elétrica para sobreviver, como pessoas que usam insulina, pessoas que tomam medicação de alto custo que guardam na geladeira e que estão perdendo, inalações diárias”. 

Atendendo desde 8h30 a ação contou com colaboração dos moradores. Líderes da comunidade responsáveis pela organização da paralisação na BR-163 participam da coleta de materiais em parceria com a Defensoria Pública e afirmam que mais de 2000 casas e barracos estão sem luz. Um dos representantes, Leodomar Rodrigues (40), atualmente desempregado, relata que foram surpreendidos com a operação de desligamento de energia: “Vieram aqui e cortaram a luz sem avisar, sem deixar a gente tomar precaução de tirar as crianças e quem precisa de remédio”. 

Para o mestre de obras Wilson Vasques (46), residente do local há mais de 2 anos, o diálogo entre partes é importante: “Estamos reunidos aqui para reivindicar a energia dentro da nossa comunidade. Gostaríamos de sentar com representantes da Energisa para achar um meio termo até que regularize a energia na nossa comunidade”. Wilson relata ainda outros problemas da favela, como falta de água e saneamento básico.  

Atendendo os ocupantes da área do Homex no processo de reintegração de posse que se estende desde 2017, a defensora pública Claudia Bossay Assumpção Fassa, membro do Núcleo de Defesa do Consumidor, enfatiza a necessidade de tratar situações como a atual de forma humanitária: “A ação de hoje é extremamente importante porque a energia elétrica é um bem essencial. Aqui tem pessoas doentes, crianças que precisam de atenção do poder público. O que temos de mais importante para fazer agora é tentarmos reverter a situação”. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Castração de gatos estará disponível nesta segunda
AGENDAMENTO

Castração de gatos estará disponível nesta segunda

Licitação pública de ponte sobre rio Paraguai será lançada no sábado
PORTO MURTINHO

Licitação pública de ponte
será lançada amanhã

Pela terceira vez, MPE quer <br> guardas municipais na prisão
PISTOLAGEM

Pela terceira vez, MPE quer
guardas municipais na prisão

BRASIL

MPF pede suspensão de urgência em concurso da Polícia Rodoviária Federal

Mais Lidas