Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Violência

Menino foi morto por asfixia ao reagir
a estupro na Coophavila, diz polícia

Polícia investiga se a vítima em questão é Kauan Andrade Soares dos Santos, desaparecido

22 JUL 17 - 15h:17RENAN NUCCI E BRUNA AQUINO

Adolescente de 14 anos apreendido pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança ao Adolescente (DEPCA) confessou que participou, juntamente com um homem de 38 anos, do assassinato de um menino em Campo Grande. A vítima teria sido morta por asfixia ao reagir a estupro na Coophavila, tendo o corpo jogado no rio Anhanduí. A suspeita é de que a criança seja Kauan Andrade Soares dos Santos, de 9 anos, desaparecido desde o dia 25 de junho.

No início desta tarde, o delegado Paulo Sérgio Laureto, responsável pelas investigações, divulgou novos detalhes sobre o caso. Segundo ele, o homem que teria praticado a violência sexual e o homicídio de forma direta nega o crime, embora na casa dele tenha sido encontrado diversos materiais com conteúdo pornográfico envolvendo adultos e menores de idade. O nome do pedófilo foi preservado, por enquanto, para não comprometer o andamento do inquérito.

O adolescente assumiu que há cerca de um mês levou um menino, aparentemente de nove anos, para a casa do autor, à noite, na Coophavilla. No local, o homem teria iniciado o estupro, mas enfrentou resistência por parte da vítima que reagiu, se debatendo e chorando alto, até porque estava sangrando. Neste momento, o adolescente ajudou no delito segurando o garoto pelos braços, enquanto o homem tapava a boca dele com a mão.

A polícia acredita que ao tentar calar o menino, o homem acabou matando-o por asfixia. Percebendo que ele não reagia a estímulos, o autor e o adolescente colocaram o corpo em um saco e soltaram no rio nas imediações da Avenida Thyrson de Almeida e Avenida Campestre. A polícia e o Corpo de Bombeiros fazem buscas pelo local, mas até o momento não encontraram o corpo, apenas um saco com o que parece ser cabelos humanos. Por isso, sem exame pericial, ainda não é possível afirmar que se trata de Kauan.

Evidências

Agentes da DEPCA foram à casa do principal investigado e encontraram diversas revistas e filmes pornográfico, bem como fotos de crianças e adultos em caráter sexual, bem como vestígios de sangue. Investigações apontam que o homem aliciava meninos para cuidar carros, em troca de dinheiro e de relações sexuais. O adolescente que o ajudou teria sido, inclusive, abusado em outras ocasiões e atualmente o auxiliava lhe apresentando vítimas recebendo de volta vantagens financeiras.

De acordo com o delegado Laureto, o homem deve ser indiciado por homicídio, ocultação de cadáver, exploração sexual e estupro de vulnerável. Ele será encaminhado da DEPCA para celas da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (DERF). Já o adolescente será levado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude (Deaij) e, posteriormente, para a Unidade Educacional de Internação (Unei).

Coincidências

Apesar de não haver a confirmação, indícios apontam que a vítima em questão possa ser Kauan. O menino teria sido visto pela última vez à noite, cuidando de carros na Coophavilla. E ele morava no Pênfigo, que fica perto do Aero Rancho, onde supostamente moraria o garoto levado até à casa na Coophavilla. Além disso, as datas do crime que a dupla cometeu, há cerca de um mês, coincide com o período de desaparecimento de Kauan.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Aeronave do Esquadrão Pelicano da Capital vai auxiliar buscas por avião no Chile
FORÇA AÉREA

Aeronave do Esquadrão Pelicano da Capital vai auxiliar buscas por avião no Chile

Prefeitura não comparece, mas Consório e sindicato fecham propostas
REAJUSTE DOS MOTORISTAS

Prefeitura não comparece, mas Consório e sindicato fecham propostas

Em fazendas, trabalhadores são resgatados em condições de escravidão
INTERIOR

Em fazendas, trabalhadores são resgatados em condições de escravidão

Alimentação na Cidade do Natal custará de R$ 3 a R$ 30
CONFIRA O CARDÁPIO

Alimentação na Cidade do Natal custará de R$ 3 a R$ 30

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião