Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ESTABELECIMENTOS

Comércios poderão pagar multa
de R$ 86 mil por discriminação racial

Projeto foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa

13 AGO 19 - 13h:15IZABELA JORNADA

Estabelecimentos comerciais que forem denunciados por terem seus funcionários, bem como o dono do local, praticando discriminação racial  no ambiente de trabalho poderão pagar multa de R$ 86 mil. A proposta foi aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa, durante sessão desta terça-feira (13). O projeto de lei visa também, como sanção administrativa, cancelar o registro de pessoa jurídica caso o estabelecimento seja reincidente no crime.

Entre as ações discriminatórias elencadas no projeto estão: proibir ou impor constrangimento ao ingresso ou permanência em ambiente ou estabelecimento aberto ao público; recusar, retardar, impedir ou onerar a locação, compra, aquisição, arrendamento ou empréstimo de bens móveis ou imóveis; e negar emprego, demitir, impedir ou dificultar a ascensão em empresa pública ou privada.

O autor da matéria, deputado Pedro Kemp (PT), defendeu na tribuna que a proposta surgiu após a imprensa divulgar a história de uma mulher negra que foi ofendida em um restaurante, ao insinuarem que ela não teria o “perfil” de consumidora. “Quando falamos de situações como essa, falamos de ofensas à dignidade humana. Isso é muito sério”, discursou. Com a aprovação por unanimidade, a proposta segue à sanção governamental e, se aprovada, a nova lei prevê penalidades, dentre elas multa de até 3 mil Uferms, o equivalente a R$ 86.310,00 neste mês de agosto.

OUTRO PROJETO

Por maioria de votos, o projeto de lei, do deputado Lidio Lopes (PATRI), que previa a  mudança na formatação dos preços dos combustíveis em Mato Grosso do Sul, foi arquivado. A proposta do deputado era para que os valores passassem a ter dois dígitos de centavos e não mais três. Lidio defendeu em tribuna que a ideia iria beneficiar os consumidores, que poderiam economizar.

Em contrapartida, o deputado Renan Contar (PSL) alegou que a proposta afeta a livre concorrência e o líder do Governo na Casa de Leis, deputado José Carlos Barbosa (DEM), o Barbosinha questionou vício de iniciativa, visto que seria matéria de competência da União. O placar da votação foi de cinco deputados favoráveis ao projeto e 11 contrários.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Umidade relativa do ar despenca para 17% neste domingo em MS
ALERTA

Umidade despenca para 17% neste domingo em MS

Jogo de estrelas reúne craques do futebol brasileiro
JACQUES DA LUZ

Jogo de estrelas reúne craques do futebol brasileiro

Campo Grande cria 327 empregos em julho, 2º melhor saldo no ano
CAGED

Campo Grande cria 327 empregos
em julho, 2º melhor saldo no ano

Carro dos Correios é furtado<br> com provas do Encceja
ATRASOU A PROVA

Carro dos Correios é furtado com provas do Encceja

Mais Lidas