Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

corrupção

Justiça decreta bloqueio de mais de
R$ 246 milhões de empresários e servidores

MPE divulgou que tenta recuperar mais de R$ 2 bi desviados

2 AGO 2017Por RODOLFO CÉSAR18h:36

A Justiça Estadual determinou bloqueio de bens de empresários, empresas e servidores públicos hoje. O pedido havia sido feito pelo Ministério Público Estadual (MPE). A decisão foi proferida pela juiz em substituição na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais de Campo Grande, Alexandre Antunes da Silva.

O valor solicitado para bloqueio é de R$ 246.558.699,00 dos acusados de corrupção. O total bloqueado não foi divulgado porque depois da decisão judicial, procedimentos legais precisam ser utilizados para realização da indisponibilidade de bens que estejam em nome dos investigados.

Entre os atingidos pela medida estão o advogado e servidor da Câmara de Campo Grande, André Luiz Scaff, e a esposa dele, Karina Ribeiro Mauro Scaff.

Investigações do MPE resultaram em cinco ações de improbidade administrativa contra 37 pessoas físicas e jurídicas pela prática de corrupção. A indisponibilidade de bens foi solicitada para tentar garantir reparação de danos causados ao serviço público.

"Os documentos colacionados aos autos demonstram suficientemente a existência de fundados indícios da prática do ato de improbidade administrativa por parte dos requeridos”, escreveu o juiz em sua decisão.

O Ministério Público Estadual informou, em nota, que tenta recuperar mais de R$ 2 bilhões que teriam sido desviados do poder público estadual.

"Com essa decisão, a Força-tarefa do MP já conseguiu que o Poder Judiciário decretasse a indisponibilidade de bens no valor de R$ 561.153.647,90", confirmou o órgão.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também