Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

no jardim carioca

Jovem morto em Uber era suspeito de participar de outro duplo homicídio

Maickon Alves Marques pretendia apresentar-se hoje na polícia

27 JUL 2017Por Izabela Jornada e Mariane Chianezi17h:54

Maickon Alves Marques, 22 anos, que foi assassinado dentro de carro de Uber hoje, por volta das 15h, no Jardim Carioca, já estava envolvido em outro homicídio que aconteceu no Bairro Campo Alto, no dia 23 de julho. Além de Marques, também foi executado no mesmo local Reynan Felipe Vieira de Oliveira, 22 anos.

De acordo com a delegada Célia Maria Bezerra da Silva, da 4ª Delegacia de Polícia, o advogado de Maickon foi hoje, às 10h30, na delegacia para apresentar seu cliente. “Como temos uma agenda a seguir, pedi para que ele voltasse à tarde com a arma que foi usada no crime”, disse a delegada.

Porém, não deu tempo do rapaz se apresentar e Maickon foi morto durante corrida de Uber, no Bairro Jardim Carioca, na Rua Zacarias Mourão, hoje à tarde.

O motorista do Uber, N.M.T, está ferido e foi encaminhado para a Santa Casa de Campo Grande. Ele sofreu disparos no ombro, rosto e costas.

Testemunha relatou à reportagem do Portal Correio do Estado que estava em casa quando ouviu "vários disparos". Ao chegar no portão, viu o Pegeout 207 preto cheio de marcas de tiros. Os jovens que morreram estavam no banco traseiro e foram atingidos principalmente no rosto.

"Estava em casa quando ouvi um monte de tiro. Foram muitos, não deu para contar", contou a testemunha, que preferiu não se identificar por questão de segurança.

As primeiras informações que a polícia recebeu foi de que dois jovens haviam solicitado Uber. Eles saíram do Residencial Nelson Trad e entraram no veículo. Logo em seguida, dois carros e uma moto passaram a perseguir as vítimas.

Um dos veículos que fizeram a perseguição era uma Hilux, conforme relatado por testemunha. Logo depois dos tiros, eles fugiram sentido bairro-Centro.

OUTRO HOMICÍDIO

Maickon estava envolvido em outro homicídio. Segundo dados do boletim de ocorrência do dia 23 de julho, o jovem teria assassinado seu vizinho. 

Maickon morava com seu avô, Antonio Marques, 72 anos, mecânico, e tinha como hábito atirar no meio da rua usando a arma dele.

Contudo, seu vizinho, Joaquim Rodrigues de Oliveira, de 58 anos, motorista de ônibus urbano, reclamou dos tiros e atirou no avô de Maickon, porém Antonio revidou os tiros, mas acabou sendo morto por Joaquim. O motorista também foi morto depois de dois disparos de Maickon. 

O outro jovem que também morreu hoje à tarde, e que estava na companhia de Maickon durante corrida de Uber, Reynan Felipe Vieira de Oliveira, 22 anos, morava na casa de Maickon com sua esposa e filhos.

A delegada Célia disse também que Maickon já tinha sofrido atentado em outra ocasião. “Naquele caso onde atiraram em baile funk, no Bairro Parati, a intenção era de acertar Maickon, mas acertaram o açougueiro que acabou vindo a óbito”, afirmou ela. 

*Colaborou Rodolfo César

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também