Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

LAVAGEM DE DINHEIRO

Irmãos presos são suspeitos
de investir dinheiro do tráfico
em comércios

Itamar e Edimilson foram presos ontem em operação policial na região oeste da Capital

2 SET 15 - 09h:45LAURA HOLSBACK

Os irmãos comerciantes presos em operação de repressão ao tráfico de drogas são suspeitos no crime de lavagem de dinheiro. Segundo o delegado responsável pelas investigações, João Paulo Satori, da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), a dupla é dona de um pet shop e distribuidora de cestas básicas e há a suspeita de que investiam nos negócios dinheiro da venda de cocaína. Itamar dos Santos Pereira, 31 anos, e Edmilson Santos Pereira, 28, foram presos na madrugada de ontem (01), depois da entrega de uma remessa de 18 quilos do entorpecente.

De acordo com a autoridade policial, os irmãos lideravam a distribuição da droga em bairros da região oeste da cidade e também forneciam para criminosos do interior do Estado. Eles já vinham sendo investigados por envolvimento no tráfico e foram presos depois de, na madrugada de ontem, chegar à delegacia especializada denúncia de que fariam entrega de uma carga.

Edmilson fez a entrega e foi flagrado junto com dois traficantes, que são de Três Lagoas, na Rua Agostinho Bacha, esquina com a Carlos Fereira Viana Bandeira, no Bairro Universitário. Com a chegada da equipe de policiais os moradores da cidade do interior conseguiram fugir em um Celta e Edmilson foi contido no local. Ele já havia negociado 18 quilos de cocaína e estava, somente, com algumas porções da mesma droga.

MAIS PRISÃO

Preso, Edmilson levou investigadores até a casa de Itamar, que era usada como centro de distribuição e fica na Rua João Roma, Vila Julieta, também na região oeste da Capital. No local, foram apreendidos quase 32 quilos de cocaína, avaliados em R$ 260 mil, segundo Sartori.

Também foram apreendidos R$ 12,5 mil em espécie, petrechos que eram usados em preparos de porções e três automóveis, um deles o Pálio que Edmilson estava quando entregava a carga do entorpecente. Os demais tratam-se de Audi A4 e fusca New Beetle que eram ostentados pelos criminosos, segundo Sartori.

O delegado ainda disse que há suspeita de envolvimento dos irmãos em lavagem de dinheiro. “São donos de duas empresas e pode ser que usavam o dinheiro do tráfico nos negócios para disfarçar a prática ilícita”, pontuou.

As empresas funcionam nas imediações do Bairro Itamacará.  

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Índice de consumidor por rede faz <br>MS de energia mais alta, diz Aneel
DIZ ANEEL

Índice de consumidor por rede faz MS ter energia mais alta

Chamas em terreno baldio quase invadem avenida em Campo Grande
PATRULHA DA CIDADE

Chamas em terreno baldio quase invadem avenida

Em um dia, PRF apreende quase <br>1,5 tonelada de droga em MS
NARCOTRÁFICO

Em um dia, PRF apreende quase 1,5 t de droga em MS

Parque dos Poderes será fechado para etapa de concurso no domingo
PM E BOMBEIROS

Parque será fechado para etapa de concurso no domingo

Mais Lidas