Quarta, 13 de Dezembro de 2017

desperdício

Investimento em tapa-buracos
'some' e ruas enchem de crateras

Aditivos elevaram contratos para serviço no valor de R$ 24,3 milhões

7 DEZ 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

O investimento de R$ 24,3 milhões em tapa-buracos em Campo Grande foram, literalmente, “por água abaixo” com as chuvas constantes.

Crateras já estão abertas em diversas ruas e para agravar ainda mais a situação, uma pessoa morreu depois de se acidentar ao passar por uma delas, na avenida Gury Marques. 

O motociclista Cícero Alves Dantas, 53,  caiu no buraco com sua moto, desequilibrou-se e bateu a cabeça em veículo estacionado. Esse carro tinha acabado de estourar dois pneus no mesmo buraco, instantes antes de Cícero passar pelo local, que fica em frente à sede da Polícia Militar Rodoviária. 

O motorista do carro, Ewerton Valadão Ferreira, parou o veículo no acostamento e saiu para procurar uma borracharia. Nesse tempo, Dantas também caiu no buraco, perdeu o controle da motocicleta que conduzia e bateu na traseira do carro de Valadão. O motociclista morreu no local antes mesmo da chegada do socorro. 

A situação problemática se alastra por Campo Grande. Na Rua Souto Maior, no Bairro Tijuca, são dezenas de buracos a cada quadra, o que torna a vida dos motoristas ainda mais difícil.

No início de 2017, a Prefeitura de Campo Grande, com ajuda financeira do governo do Estado, anunciou investimentos de R$ 20 milhões com a recuperação do pavimento. 

Tal valor subiu para R$ 24,3 milhões com aditivos concedidos às empresas que prestavam o serviço. Atualmente, apenas três equipes próprias da administração municipal fazem o trabalho, até que novas, selecionadas via licitação, sejam contratadas.

*Leia reportagem, de Leandro Abreu, na edição de hoje do jornal Correeio do Estado.

 

Leia Também