Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OPERAÇÃO

Guarda municipal é preso com armamento avaliado em quase R$ 1 mi

Acusado estava esperando ser chamado em concurso da Sejusp

20 MAI 19 - 11h:00EDUARDO PENEDO

O Guarda Municipal M.R, 42 anos, foi preso, com pistolas, fuzis, carregadores, arma de choque e munições avaliados no mercado legal em torno de quase R$ 1 milhão. O guarda, que tinha passado no concurso da Agência Penitenciaria do Estado de Mato Grosso do Sul (Agepen), foi preso no domingo (19) depois denúncia recebida pela polícia.  

Em operação em conjunto do Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) e o Batalhão de Choque da Policia Militar, o guarda municipal foi preso em posse 18 fuzis, 17 pistolas, uma arma de dar choque em gado e pelo menos 700 munições. 

Segundo o delegado Fabio Peró, a polícia recebeu uma denúncia na manhã de sábado (18), que um guarda município iria fazer transporte de armas. As inteligências das policias do Garras e Choque monitoraram o guarda que foi preso na manhã de domingo (20), por volta das 9h, dentro do carro na rua Rodolfo José Pinho, no bairro São Bento. Ao ser preso, o guarda levou os policiais em dois endereços antes de entregar onde estava as armas. No primeiro local, no bairro Caiobá, foi encontrado um veículo fiat Uno branco roubado. Essa primeira casa mora uma das mulheres do acusado.

Na sequência, o guarda levou os policiais em outra casa da outra mulher do acusado no bairro Rouxinois. As duas mulheres do guarda sabiam da relação dupla que eles tinham. Depois de andar por esses bairros, o guarda levou finalmente os policiais ao lugar onde estava o arsenal, na rua José Luis Pereira, onde foram encontrados quatro carabinas 556, 17 pistolas nove milímetros, uma arma calibre 12, outra arma longa calibre.22, um revólver 357, quatro pistolas .40, um calibre 380, uma pistola calibre 22, além 17 fuzis AK47. Também foram apreendidos silenciadores e carregadores. 

Segundo o subcomandante do Choque, capitão Rigoberto Rocha, cada pistola no mercado legal custa em média R$ 7 mil e cada fuzil está em torno de R$ 35 mil. Essas armas aprendidas provavelmente são do Paraguai e estavam com a numeração raspada. Ele explicou ainda que as armas estavam carregadas prontas para serem usadas. 

O delegado Peró explicou ainda que não tem ainda uma linha de investigação concreta para trabalhar, mas acredita que essas armas deveriam ser usadas para crimes aqui no Estado. Ele comentou que ficou impressionado com tantas armas apreendidas em Campo Grande. “Normalmente esse tipo de apreensão é feita na fronteira. É novidade aqui em Campo Grande”, explica. 

O delegado argumenta ainda que o armamento bate com o utilizado em outros crimes aqui em Campo Grande, mas precisaria ainda ser periciado as armas para ver se tem alguma ligação com homicídios ou outros crimes. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Quase um quarto dos jovens brasileiros não estuda nem trabalha, revela IBGE

Morre o crítico de cinema Rubens Ewald Filho, aos 74 anos
CINEMA EM LUTO

Morre o crítico de cinema Rubens Ewald Filho

De forma inédita, procissão de Corpus Christi será na 13 de maio
POR CONTA DO REVIVA

Procissão de Corpus Christi será na rua 13 de maio

Exército abre seleção para militares com salários de até R$ 7 mil
OPORTUNIDADE

Exército abre seleção com salários de até R$ 7 mil

Mais Lidas