Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Capital

Grupo pró-Olarte chama vereador de pedófilo e confusão quase acaba em pancadaria

Bate-boca e intervenção da Guarda Municipal aconteceram nesta manhã, na Câmara

18 AGO 15 - 10h:20ALINY MARY DIAS E KLEBER CLAJUS

Em mais um dia de sessão e plenário lotado na Câmara Municipal, uma nova confusão quase terminou em pancadaria na Casa de Leis de Campo Grande. Tudo começou com um grupo de aproximadamente 20 manifestantes pró-Olarte que insultou vereador com os gritos de “pedófilo”.

Como vem acontecendo nos últimos dias, a Câmara ficou lotada logo cedo. A maior parte do público era composta por professores, em greve há mais de dois meses e com objetivo de pressionar os vereadores para que eles, por sua vez, pressionem a prefeitura para reajuste salarial.

Um grupo menor, de 20 pessoas, protestava a favor do prefeito Gilmar Olarte (PP) e contra vereadores que votaram pela abertura da Comissão Processante. Bem à frente do plenário, os manifestantes insultaram vereadores. O maior alvo do grupo era Paulo Pedra (PDT).

Liderados por Elvis Rangel, atual presidente da Associação de Moradores do Jardim Aeroporto e ex-coordenador de Assuntos Comunitários na gestão de Alcides Bernal (PP) e também de Olarte, os manifestantes gritavam “vem para base” e “pedófilo”.

Pedra se irritou com o último ataque e partiu para cima do grupo. Elvis Rangel foi segurado pelo pescoço. A Guarda Municipal precisou intervir para que a sessão não acabasse em pancadaria.

Depois de os ânimos acalmados, o vereador desabafou sobre a situação. “Ataque político eu aceito, pode fazer o que quiser, ataque pessoal eu não aceito porque é maneira sórdida dessa administração atuar nos bastidores e com chantagem. Não entro nesse jogo”, disse, revoltado, Paulo Pedra.

Por outro lado, Elvis afirmou que irá solicitar as imagens da Câmara para que a situação seja avaliada. “Ele me pegou pelo pescoço, me ameaçou que ia me pegar lá fora, isso é um absurdo”.

Depois da confusão, a sessão continuou por poucos minutos entre gritos de manifestantes pró-Olarte e professores grevistas. Os trabalhos foram encerrados mais cedo, no entanto, por falta de quórum.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Justiça mantém Jamil Name na prisão
MILÍCIA ARMADA

Justiça mantém Jamil Name na prisão

Veja quais são os vereadores recordistas de emendas
PREFEITO VETOU A MAIORIA

Veja quais são os vereadores recordistas de emendas

No clássico dos garotos, Flamengo passa pelo Vasco no Maracanã
CARIOCA

No clássico dos garotos, Flamengo passa pelo Vasco no Maracanã

Professores pedem para investigar vestibular
UFMS

Professores pedem para investigar vestibular

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião