Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CAMPO GRANDE

Polícia investiga funcionários da Energisa por cobrar propina

Morador denunciou suposto caso de extorsão; empresa nega e diz que agiu dentro da lei

3 SET 15 - 17h:45NILCE LEMOS

A Polícia Civil investiga dois funcionários da Energisa de Campo Grande - concessionária de energia elétrica - sob denúncia de extorsão, ameaça e difamação. Dois suspeitos teriam feito uma suposta vistoria na casa de D.R.M., de 44 anos, na Vila Nasser. Segundo o homem, eles arrancaram o relógio medidor do padrão e pediram R$ 100 para não multar o proprietário por suposta fraude no relógio. 

Segundo a vítima, ela estava em casa com o portão aberto, quando dois funcionários chegaram no carro da empresa e falaram que fariam fiscalização no relógio. O homem pediu que esperassem, pois ele iria acompanhar. O morador colocou uma camisa e, ao retornar para frente do imóvel, os funcionários já haviam retirado o relógio e os lacres do relógio. 

Ao Portal Correio do Estado, a empresa nega que os funcionários tenham retirado o padrão sem a presença da polícia e afirma que foi ao local depois de receber denúncia de que havia irregularidades.

A vítima questionou a forma como os homens haviam feito a suposta vistoria, já que não estava presente. Os funcionários responderam que poderiam tirar o relógio no momento em que quisessem e disseram que o medidor estava fraudado. Neste momento, eles ofereceram para a vítima que deixariam o relógio no local sem perícia se ele pagasse R$ 100, mas a vítima se negou.

O dono da casa pegou o celular para filmar tudo, quando seu filho viu cair do bolso de um dos funcionários um canivete e uma porção de maconha. O menino contou para o pai o que viu e a vítima conseguiu pegar os objetos sem que os suspeitos percebessem.

Nas imagens feitas pelo proprietário da casa, os funcionários deram falta dos objetos e começaram a procurá-los até mesmo no motor do carro. Ao perceber o desespero dos homens em busca do canivete e da maconha, a vítima ligou para polícia e mostrou que estava com os objetos. Os suspeitos, então, pediram reforço e outros 3 funcionários da empresa chegaram no local. Um deles ainda teria dito que confiava nos trabalhadores e que, como o dono da casa tinha tatuagem, a droga deveria ser dele.

Tudo foi filmado pelo celular da vítima, o que irritou um dos funcionários que ainda ameaçou o proprietário dizendo “se continuar filmando, vou conversar diferente. Sei onde você e sua família moram”.

O caso será investigado pelo delegado Alexandre Evangelista, da 2ª DP. Ao Portal Correio do Estado, o delegado disse que vai receber as imagens da vítima e instaurar inquérito. A empresa Energisa ainda não foi notificada, mas isso deve acontecer em breve, já que a vítima anotou o número dos carros de serviço da empresa que estiveram em sua casa para a identificação dos funcionários.

O delegado disse ainda que acha estranha e disforme a maneira como feita a vistoria, já que a forma correta seria os funcionários da Energisa, percebendo alguma irregularidade, acionar a polícia para, juntos, fazer a perícia no relógio medidor na presença do proprietário da casa.

A vítima advertiu: "Isso acontece muitas vezes porque as pessoas não entendem do assunto, então se eles falam que está irregular e aplicam multa, a gente acaba pagando. Mas não é assim que funciona".

OUTRO LADO

Em nota, a empresa afirma que havia presença da polícia e que o procedimento foi realizado dentro dos conformes. "A Energisa esclarece que, recebeu uma denúncia de adulteração no medidor de energia, através do 0800, e por isso realizou a inspeção no local. 

No momento da inspeção, o proprietário não permitiu que o serviço fosse concluído, com isso foi acionado a Polícia Militar, na presença do Sargento Pompeu, que esteve no local e auxiliou na substituição do medidor de energia. O equipamento encontra-se para aferição e laudo do Inmetro. 

Vale ressaltar que, durante a presença da polícia militar, nada que desabonasse a equipe da Energisa foi constatado, ainda assim , como procedimento, no mesmo dia, a equipe da Energisa dirigiu-se ao 2ºDP onde registrou o boletim de ocorrência 2799/2015.​"

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Juiz muda de ideia e lista <br> tríplice da UFGD volta a valer
PROCESSO ELEITORAL

Juiz muda de ideia e lista tríplice da UFGD volta a valer

DOMINGO

Parlamentares do PSL/MS vão participar de manifestação a favor de Bolsonaro

Deputado vai percorrer o interior do Estado
Motoristas esperam 16 horas em fila <br> para abastecer a R$ 2,50 em Campo Grande
FEIRÃO DO IMPOSTO

Motoristas esperam 16 h em fila para abastecer a R$ 2,50

Tecnologia terá recursos <BR>de R$ 56,7 milhões para inovação
PROJETO

Tecnologia terá recursos de R$ 56,7 milhões para inovação

Mais Lidas