Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 21 de janeiro de 2019

Operação Lama Asfáltica

Fraude em licitações causou rombo de R$ 11 mi e envolve empresários e servidores

Operação Lama Asfáltica foi iniciada hoje pela Polícia Federal, CGU e Receita Federal

9 JUL 2015Por ALINY MARY DIAS E CELSO BEJARANO09h:17

Iniciada na manhã desta quinta-feira (8) pela Polícia Federal, Receita Federal e Controladoria Geral da União (CGU), a Operação Lama Asfáltica apura fraudes em licitações que causaram rombo de R$ 11 milhões nos cofres públicos. Além do empresário João Krampe Amorim, o que mais conquista licitações do Governo e da Prefeitura, servidores do Governo do Estado também são alvo da operação.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações começaram em 2013 e apontaram existência de esquema de superfaturamento de obras “mediante prática de corrupção de servidores públicos e fraudes a licitações, ocasionando desvios de recursos públicos”. A organização criminosa atua no ramo de pavimentação de rodovias, construção de vias públicas, coleta de lixo e limpeza urbana.

Ainda conforme a investigação, foram identificadas “vultuosas doações” de campanhas à candidatura de um dos principais envolvidos. Segundo apurou a reportagem, trata-se do ex-diretor da Agência Estadual de Gestão e Empreendimentos (Agesul), Edson Giroto. A casa dele, inclusive, é um dos alvos dos 19 mandados de busca e apreensão.

A casa do empresário João Amorim, assim como da secretária e sócia dele, Elza Cristina Araújo dos Santos, e do genro, Luciano Dolzan – dono da LD Construções, também são alvo de buscas dos policiais.

A sede da Secretaria de Infraestrutura do Governo (Seinfra) também é alvo dos mandados de busca e os funcionários foram dispensados do serviço. Além das buscas, a PF também cumpre quatro ordens de afastamento de servidores estaduais.

 Participam da operação 80 policiais federais, 13 servidores da CGU e 25 da Receita Federal.

BUSCAS

O cumprimento dos mandados de busca e apreensão começou por volta das 6 horas de hoje. As equipes foram até a casa do empresário João Amorim, a sede da empresa Proteco, localizada na Avenida Ministro João Arinos e na empreiteira LD Construções, localizado na Rua Paraguai, na Capital.

Além dos empresários, os policiais também cumprem mandados de busca na casa de Edson Giroto, atual assessor especial do Ministério dos Transportes, a mansão está localizada no condomínio Damha 1.

 

 
  • Polícia Federal na casa de João Amorim (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • Operação na Proteco Contruções (Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • Equipe da Receita Federal na casa de Edson Giroto (Álvaro Rezende/Correio do Estado)
  • Equipes fazem buscas na casa de Giroto (Reprodução/WhatsApp)
  • Casa de Edson Giroto foi alvo de operação (Reprodução/WhatsApp)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também