Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

saúde

Falta de profissionais prejudica
atendimento imediato nas UBSs

Algumas unidades passaram a receber pacientes de demanda espontânea

7 OUT 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

A Prefeitura de Campo Grande planeja abrir as portas de 20 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) para atender demandas espontâneas de atenção primária.

A medida está em teste em sete unidades atualmente, mas já enfrenta problemas, que esbarram principalmente na falta de pessoal. 

Funcionários das UBSFs que já atendem dessa forma admitem que têm dificuldades para implantar o novo sistema.

Na unidade do Bairro Ana Maria do Couto, região oeste de Campo Grande, as equipes estão desfalcadas de médicos e enfermeiros.

O problema impede que o posto de saúde permaneça aberto durante o horário de almoço, uma das determinações da reformulação proposta pela Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau).

Na UBSF Parque do Sol, zona sul da Capital, enfermeiros e médicos reconhecem que a procura por demanda espontânea “afogou” a unidade, já que as quatro equipes que atendem no local são insuficientes. 

Em nota, a Sesau responde que, por enquanto, “as unidades estão adotando o revezamento no atendimento da demanda espontânea sem aumento da carga horária contratada”.

A pasta explica que “estas equipes serão qualificadas seguindo diretrizes do Ministério da Saúde e, após este processo de qualificação, pode-se expandir a quantidade de profissionais em cada equipe ou novas equipes”.

*Leia reportagem, de Jones Mário, na edição de sábado/domingo do jornal Correio do Estado.

 

 

Leia Também