Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

Educação Pública

Aluna de escola na Capital vai
para o Senado ao ganhar concurso

Amanda Duarte disputou vaga com 153.955 jovens

14 OUT 2017Por RODOLFO CÉSAR12h:10

Amanda da Silva Duarte falou sobre como o Brasil pode atender a pluralidade de pessoas e lutar contra a intolerância. O discurso dela foi eficaz, chamou a atenção e ela foi selecionada entre 153.955 estudantes para ser a representante de Mato Grosso do Sul no 10º Concurso de Redação do Senado Federal.

Ela vai desempenhar a função de jovem senadora em Brasília, entre 27 de novembro a 2 de dezembro. A cerimônia de posse acontercerá no dia 28 de novembro, no Plenário do Senado Federal. A legislatura tem início com a posse dos jovens senadores e a eleição da Mesa Jovem e se encerra com a aprovação dos projetos e a consequente publicação no Diário do Senado Federal.

Amanda da Silva Duarte estuda na Escola Estadual General Malan, de Campo Grande.

“Não criei muitas expectativas em relação ao resultado oficial, pois a dimensão do projeto era enorme, mas quando soube que havia sido contemplada, foi inacreditável. Pretendo ser professora de Matemática, um sonho de infância. Projetos como esse, que incentivam os alunos a darem o seu melhor, me fascinam”, destacou a estudante.

A jovem recorreu a professora de redação, Jane Luara Cruz de Mello do Prado, para produzir o seu discurso. “O primeiro desafio foi passar pela seletiva escolar, e essa já foi uma grande vitória. Quando iniciei o ensino médio, mal sabia estruturar uma redação e foi um presente da vida a presença da professora Jane, docente dessa disciplina. Esse concurso reforçou em mim a certeza de que a educação sempre será a melhor parte e que o esforço nos estudos nunca será desperdiçado”, relatou.

Quem ganhou o concurso foi Bruna Neri Cardoso Brandão, do Colégio Militar Dom Pedro II, de Brasília (DF), com a redação “Intolerância: barreira para a igualdade de gênero”.

Na segunda colocação ficou o estudante Silmark de Araújo Alencar, da cidade de Dom Pedro (MA), do Centro de Ensino Ana Isabel Tavares, com a redação “Brasil: intolerância miscigenada”.

O terceiro lugar na etapa nacional ficou com a estudante Raissa de Souza Reis, da EE Ernesto Pena Fort, de Manaus (AM), com a redação “Brasil: superar a intolerância para seguir em frente”.

Leia Também