Terça, 12 de Dezembro de 2017

VITÓRIO

Estudante resgata gato machucado e agora procura lar definitivo para o felino

Mesmo com as despesas altas, Raquel não cogitou deixar de ajudar

15 ABR 2017Por BÁRBARA CAVALCANTI E MARESSA MENDONÇA10h:12

Na semana passada, a estudante Raquel de Souza Jeronymo, de 22 anos, encontrou gato abandonado perto de sua casa. Agora, Vitório está internado e Raquel precisa achar alguém que possa adotá-lo, já que ele está liberado para concluir o tratamento em casa.

“Ele tem um olhinho meio fechado por conta de uma lesão na córnea. Uma das patinhas dele não tem mais movimento, depois dos exames a veterinária constatou que já é uma lesão antiga, ele sofreu um impacto grande, provavelmente porque foi atropelado ou maltratado. Ele estava desnutrido e desidratado, com o abdômen dilatado e depois dos exames detectamos que ele é portador da FIV, a AIDS felina, mas que não oferece riscos a cachorros ou humanos. Preciso encontrar alguém que não tenha gato e queira adotar, ou alguém que já tenha outros gatos com FIV”, explicou.

Não é a primeira vez que a estudante resgata animais. “Eu já resgatei e doei vários animais, mas todos que havia resgatado até agora não exigiam muitos cuidados. Foi a primeira vez que resgatei um animal em estado tão grave, que exigiu internação e gerou muitos gastos”, relatou.

Em Campo Grande, até mesmo as Organizações Não Governamentais (ONGs) de proteção aos animais não têm espaço físico e recursos para fazer resgates. Todos integrantes são protetores independentes que, assim como Raquel, dependem de doações ou tiram dinheiro do próprio bolso para ajudar animais em necessidade.

“Atualmente a dívida está em aproximadamente R$ 800, mas infelizmente os gastos aumentam a cada dia”, detalhou Raquel. “Graças a Deus muitas pessoas têm me procurado para ajudar com doações. Só tenho a agradecer, pois amigos e até mesmo pessoas que eu nem conhecia contribuíram com o que podiam e estão me ajudando a pagar os gastos do tratamento dele”.

Mesmo com as despesas altas, Raquel não cogitou deixar de ajudar. “Apesar de todas as dificuldades que estou passando eu não conseguiria simplesmente ignorar o sofrimento de um animal como ele, que tinha sido abandonado pra esperar a morte definhando de fome. Não sei explicar o que me motivou a resgatar ele. Amor, compaixão, uma vontade urgente de ajudar com o que estivesse ao meu alcance. E agora meu objetivo principal é encontrar alguém que queira adotá-lo”, expressou.

DOAÇÕES

A estudante disponibilizou duas contas para aqueles que quiseram contribuir. 

SANTANDER - Agência 3085
                            Conta corrente 01084199-0

BANCO DO BRASIL - Agência 3497-5
                                        Conta Corrente 46054-0

 

 

 

 

Leia Também