Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

recursos parados

Estado e prefeitura prometem empenho
para destravar mais R$ 300 milhões

Verba ainda não veio para Capital por falta de projetos e contrapartidas

4 SET 2017Por RODOLFO CÉSAR E TAINÁ JARA20h:10

O governo do Estado e a Prefeitura de Campo Grande prometem obter fôlego para destravar mais R$ 300 milhões que estão represados na União para realizar obras. Esse é o projeto a curto prazo que foi mencionado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o prefeito Marcos Trad (PSB) hoje à noite, na Câmara Municipal.

Eles reuniram-se para assinatura de acordo que permitiu a liberação de R$ 15 milhões para empreendimentos na Capital. Esse dinheiro está agrupado a etapa que totaliza R$ 180 milhões de verba federal. Esses recursos estão sendo usados, por exemplo, para intervenção de drenagem e asfaltamento no bairro Nova Lima e também foram utilizados na Via Park.

A verba dessa primeira etapa contempla 28 obras que estavam paradas em Campo Grande entre um ano a mais de quatro anos. "A gente conseguiu nessa primeira etapa resgatar R$ 180 milhões para 28 obras paralisadas há muito tempo. Estamos buscando outros recursos agora que podem totalizar mais de R$ 300 milhões", explicou Azambuja.

Para garantir que o dinheiro seja liberado para a Prefeitura da Capital, o Estado vai intervir com repasse de contrapartida. Permitir que outros R$ 300 milhões sejam encaminhados pelo governo federal à cidade vai exigir que o governo estadual entre com contrapartida de R$ 65 milhões.

"Esse dinheiro vem do orçamento geral da União, de recursos de empréstimos. Ficaram parados por conta dos quatro anos (que a cidade ficou) adomercidos", indicou o governador, ao mencionar a crise administrativa que Campo Grande enfrentou com as saídas de prefeitos entre 2013 e 2016.

Marcos Trad confirmou que os R$ 15 milhões já estão liberados e a próxima etapa é realizar licitações para diversas obras, entre elas a revitalização da Avenida Ernesto Geisel, que fica às margens do Rio Anhanduí. "Nossa cidade voltou a ter credibilidade. Na região norte algumas obras já começaram, como pavimentação e drenagem", pontuou.

Ele detalhou que quando assumiu, em janeiro deste ano, R$ 500 milhões estavam bloqueados no governo federal. "Estamos destravando quase R$ 200 milhões nessa primeira etapa", comemorou.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também