Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

ENTUBADA

Estado de saúde de bebê que
passou mal em Ceinf permanece grave

Criança passa por exames para identificar o que motivou broncoaspiração

6 JUL 2017Por MARIANE CHIANEZI18h:48

Permanece em estado grave Samyra Emanuelle Vasques de Oliveira, de um ano e meio, internada ontem (5) no Hospital Regional, em Campo Grande. Ela sofreu broncoaspiração enquanto estava no Ceinf Cristo É Vida, na Vila Popular.

O Hospital Regional informou, por meio de nota, na tarde de hoje, que Samyra passa por série de exames para médicos poderem concluir o diagnóstico. Paciente estava com quadro de febre e permanece em observação. Entre as suspeitas investigadas está a de complicações por conta de gripe.

Familiar da criança informou ao Portal Correio do Estado que os parentes do bebê a acompanham na unidade hospitalar e até então o estado de saúde dela permanecia o mesmo de ontem. Ela não é filha única e a mãe de Samyra está grávida de 8 meses.

CASO

Samyra estava ontem na creche, por volta das 9h, quando sofreu uma broncoaspiração, que acontece quando o conteúdo gástrico obstrui as vias aéreas e vai para o pulmão.

Funcionária da unidade notou que a menina estava engasgada e logo acionou o Samu, que encaminhou a vítima para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vila Almeida.

Samyra está resfriada e vinha sendo tratada pela mãe, Naiara Vasques Vargas, de 23 anos. Ela também foi acionada e comentou que quando chegou no Ceinf a filha estava sem resposta motora.

Na UPA Vila Almeida, três pediatras de plantão fizeram o atendimento e a entubaram para manter a respiração estável. "Todos os procedimentos necessários para estabilização do quadro de saúde foram realizados. Suspeita-se de broncoaspiração. O estado de saúde é grave", informou a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), por meio de nota.

A transferência para o Hospital Regional aconteceu no começo da tarde. Mãe de Samyra lamentou a demora da remoção para o CTI. "Demorou muito na UPA da Vila Almeida. Falaram que ia transferir em 10 minutos e demorou 1h30", disse.

RISCO DE INFLUENZA

Três crianças com idades entre 2 meses e 1 ano e 5 meses estão internadas com suspeita de Influenza A no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS), em Campo Grande.

Dois bebês - de 2 meses e de 4 meses - ficaram em isolamento no Pronto Atendimento Médico (PAM) na ala da pediatria, foram tratados e deixaram o setor crítico, porém o resultado do exame ainda não ficou pronto para confirmar ou não Influenza (A - vírus H1N1 e H3N2) e Influenza B.

Uma das crianças chegou a tomar cinco doses do remédio antiviral oseltamivir (nome comercial Tamiflu). Os bebês estão abaixo da idade mínima para receber a vacina que imuniza contra Influenza, que é de 6 meses. 

Samyra, internada ontem, estava com gripe há pelo menos três dias e de acordo com a mãe dela, Naiara Vasques Vargas, 23 anos, acabou medicada em casa, inclusive com antibiótico.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também