Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Esposa de vereador era funcionária fantasma do município, acusa promotor

Esposa de Cazuza tinha cargo na secretaria de Antônio Lacerda

14 OUT 19 - 11h:55IZABELA JORNADA

Esposa do vereador Cazuza (PP), a pedagoga Ilcemara Lopes de Oliveira, o secretário municipal de Governo, Antônio Lacerda e o chefe de recursos humanos, Francisco César Antônio viraram réus após a Justiça aceitar a denúncia de que eles estão envolvidos em contratação da pedagoga para aturar na Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais da Prefeitura de Campo Grande. A esposa de Cazuza teria ganhado R$ 2 mil por mês sem nunca ter trabalhado na prefeitura.

O juiz David de Oliveira Gomes Filho, 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, aceitou a denúncia e publicou despacho na manhã desta segunda-feira (14). De acordo com o juiz, existem evidências de que a esposa de Cazuza, Ilcemara Lopes teria ganhado R$ 2 mil por mês sem trabalhar. Em contrapartida, ela declarou que não sabia e "nem foi comunicada que era funcionária pública, ou que tinha sido nomeada e que tinha que assumir, sendo que se tivesse sido informada teria até renunciado pois era para exercer função e cargo que não tinha nada haver com sua área de atuação", diz parte da defesa da pedagoga.

Se as denúncias forem confirmadas, os três podem ser condenados a suspensão dos direitos políticos e terão de ressarcir os cofres públicos.

O problema maior é que a suposta funcionária fantasma foi nomeada pela Segov em maio de 2017, mas nunca teria comparecido ao Paço Municipal. Os valores foram pagos a ela durante, aproximadamente, nove meses. A professora é pedagoga em um colégio evangélico na Capital, Adventista.

Em sua defesa, nos autos do processo, Lacerda declarou que não tem como ter conhecimento de todos os nomeados em sua pasta e que ao ter conhecimento do caso ele cobrou a devolução do dinheiro e a abertura de investigações.

Francisco César Antônio também usou da mesma justificativa de Lacerda e disse que não tem conhecimento da irregularidade.

A reportagem ligou mais de três vezes para Lacerda e para o vereador Cazuza, mas até o fechamento desta matéria, não conseguiu retorno.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Bolsonaro assina medida provisória que extingue o Dpvat
A PARTIR DE 2020

Bolsonaro assina MP que extingue o Dpvat

Polícia Civil troca comando de delegacias e cargos estratégicos
DANÇA DAS CADEIRAS

Polícia Civil troca comando de delegacias e cargos estratégicos

Produção leiteira em Mato Grosso do Sul tem queda de 47%
REDUÇÃO

Produção leiteira em MS tem queda de 47%

Major Olimpio pede prisão preventiva de Lula por declarações a militantes
BRASIL

Major Olimpio pede prisão preventiva de Lula por declarações a militantes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião