terça, 14 de agosto de 2018

TRÁFICO INTERNACIONAL

Em uma semana, polícia apreende 10 quilos de cocaína no aeroporto da Capital

Três bolivianos foram presos com a droga, que seria levada para fora do país

28 MAI 2017Por NATALIA YAHN11h:18

Em apenas uma semana a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Mato Grosso do Sul, apreenderam 10,094 quilos de cocaína que tinham como rota de passagem o Aeroporto Internacional de Campo Grande. Três bolivianos foram presos, duas mulheres e um homem, em dias diferentes. Todos foram flagrados ao tentarem embarcar, com droga escondida em fundos falsos de malas, para Campinas, no interior de São Paulo, e também para a África e Ásia.

Na madrugada de ontem (27), a PF apreendeu 3,594 quilos de cocaína pura que seria levada para Joanesburgo, maior cidade da África do Sul. Uma mulher boliviana, que não teve o nome divulgado, foi presa por transportar o entorpecente. 

Na quarta-feira (24), outra mulher de 41 anos foi presa transportando 3,4 quilos de cocaína divididos em dois pacotes. Ela foi abordada em fiscalização de rotina em ônibus de viagem na BR-262, em Miranda. A mulher embarcou em Corumbá com destino a Campo Grande, e tinha passagem para Catmandu, capital do Nepal - na Ásia. O embarque internacional seria no aeroporto da Capital. 

Ela afirmou ser de Santa Cruz de La Sierra e que pegou droga em Puerto Quijarro, na fronteira com Corumbá e receberia UU$ 3 mil (cerca de R$ 9.780,00) pelo transporte. Um homem teria lhe entregado UU$ 600 (cerca de R$ 1.956,00) que foram convertidos em reais em Puerto Quijarro, e a mala já com a droga escondida.

Na segunda-feira (22), um boliviano de 39 anos foi preso também no aeroporto da Capital com 3,1 quilos de cocaína. Os agentes desconfiaram do suspeito porque durante o check-in do voo para Campinas (SP) o homem estava muito nervoso. Ele informou ter pego a droga em Puerto Quijarro -, entrou no Brasil de ônibus passando por Corumbá, até chegar à capital sul-mato-grossense onde embarcaria para o interior de São Paulo. Em seu depoimento, ele relatou que receberia cerca de US$ 2 mil de um comparsa que o estaria aguardando na cidade paulista.

Todos os casos foram registrados pela PF da Capital, como tráfico internacional de droga.

Leia Também