Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Unidade Básica de Saúde

Desvio de recurso atrasa obra em
posto de saúde na Capital, diz prefeito

Reforma e ampliação de UBS são lançadas com 5 anos de atraso

23 AGO 2017Por Izabela Jornada11h:49

Obra licitada e valores de R$ 275 mil liberados, porém, desviados desde 2012, fizeram com que a ampliação e a reforma da Unidade Básica de Saúde (UBS) Vicente Fragelli fossem autorizadas com cinco anos de atraso.

Com a reforma e a ampliação da UBS do Bairro Cidade Morena, em média, 200 pessoas poderão receber atendimento a partir do ano que vem. Os 325,44 metros de estrutura total serão reformados e 175 metros serão ampliados.

Mais cinco consultórios, um banheiro para portador de necessidades especiais e uma sala de reunião serão construídos e finalizados em nove meses.

A obra está orçada no valor de R$ 275 mil e, desse montante, R$ 94.350 são do Ministério da Saúde. A contrapartida da prefeitura é de R$ 181,243.

De acordo com o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, a obra está parada desde 2012. "Esse valor foi desviado do caixa e, graças a Deus, agora estamos arcando com a dívida e o compromisso feito anteriormente", comentou.

Com a ampliação da unidade, será necessária a contratação de mais profissionais, porém, o secretário de saúde do município, Marcelo Vilela, já adiantou que será um dos problemas. "Temos déficit de médicos na atenção básica. Devido ao pagamento da Omep e Seleta, estamos com as contratações engessadas", declarou.

Vilela sinalizou também que o índice de aposentadoria pode auxiliar nas futuras contratações de novos profissionais.

ROTATÓRIA

O prefeito lembrou da obra de intervenção nas ruas do entorno da rotatória da Via Park. "O dinheiro para essa obra estava depositado há dois anos, mas foi desviado. Não podemos mais tolerar isso".
Alegando ser disputa de egos entre os poderes, Marcos Trad disse que esses desvios ocorreram porque o Governo do Estado era de um partido e a prefeitura de outro. "Pura vaidade. Eles queriam dizer que fizeram isso ou aquilo e que os nomes deles estavam nessa ou naquela placa".

O prefeito também apresentou breve levantamento de dívidas da prefeitura. "Pegamos dívida de R$ 22 milhões com a Santa Casa, R$ 8 milhões com Hospital Universitário e R$ 500 bilhões com fornecedores. E mesmo assim estamos dando ordem de serviço. Isso é coisa de Deus mesmo", finalizou.

Leia Também