Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Assembleia Legislativa

Presidente já avalia novo nome para
cargo de chefe de segurança da Casa

Mochi lamenta morte do policial aposentado que foi executado ontem

12 JUN 2018Por IZABELA JORNADA E MARESSA MENDONÇA11h:14

O Presidente da Assembleia Legislativa Deputado Junior Mochi (MDB) lamentou a morte do chefe de segurança da Casa, Ilson Martins de Figueiredo, de 62 anos, e declarou, nesta terça-feira (12), que novo nome para ocupar o cargo já está sendo avaliado.

O policial aposentado foi executado na manhã de ontem a tiros de fuzil. Ao ser indagado sobre o passado de Figueiredo, Mochi também declarou desconhecer.

“Lamento muito a morte dele. Era uma pessoa tranquila, serena, cumpridor de todas as obrigações. Ele sempre teve um tratamento cortês, gerenciava  a Casa e eu desconheço algum ato que desabone a conduta dele, mas a segurança não pode ficar sem chefe e eu já pedi para o Maurício Picarelli (PSDB) para que seja providenciado”.

Picarrelli integra a Comissão de Segurança da Casa e, por esse motivo, foi acionado pelo presidente do Legislativo.

“Vou conversar com primeiro-secretário (deputado Zéteixeira do DEM) e fazer reuniões com a mesa para que ações internas da Casa aconteçam e seja designado o novo nome para ocupar o cargo”, completou Mochi.

Ao ser indagado sobre a possibilidade de abertura de inquérito ou algum tipo de procedimento para investigar a conduta do policial, Mochi respondeu que, “o crime não aconteceu dentro da Casa de Leis, não foi interno e não teve relação com a Assembleia”. Por esse motivo, a investigação sobre o caso ficará a cargo da Polícia Civil.

“Esperamos que o processo tenha celeridade. Já conversamos ontem com o governador ele já estava sabendo da situação”, finalizou o presidente.

 

Leia Também