Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

Investigação

Depois da Operação Antivírus, Gaeco
não pede mais informações ao Detran

"Estamos aguardando”, disse diretor-presidente, Roberto Hashioka

18 SET 2017Por Lucia Morel11h:42

Depois da Operação Antivírus, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) no dia 29 de agosto, mais nenhuma informação do órgão foi solicitada.

Pelo menos é o que afirmou o atual diretor-presidente da autarquia, Roberto Hashioka, que participou da abertura da Semana Nacional de Trânsito, no Teatro Glauce Rocha. “O Gaeco não nos procurou, estamos aguardando”, disse.

Para ele, o departamento está atento às ações necessárias de educação para o trânsito e não se abalou com as investigações. “O Detran está centrado em seus trabalhos. Tem servidores competentes e sempre buscando melhorar seus serviços”.

Operação Antivírus

O Gaeco, órgão do Ministério Público Estadual (MPE) deflagrou no dia 29 de agosto a Operação Antivírus, com o objetivo de dar cumprimento a nove mandados de prisão preventiva, três de temporária e 29 mandados de busca e apreensão.

A investigação apura existência de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, com investigação que teve início em 2015 e tem como objeto contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação/informática e o Poder Público Estadual.

Cerca de R$ 95 mil foram apreendidos em posse de um dos investigados presos, além de milhares de documentos, computadores, notebooks, tabletes, e celulares.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também