Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Labirinto de Creta

Defesa de empresário acredita no "arquivamento das investigações" da PF

PF cumpre 15 mandados de busca e apreensão em casas e empresas do setor frigorífico

28 JUL 17 - 10h:37GLAUCEA VACCARI

Advogado do empresário José Carlos Lopes, José Trad afirma que o cliente, um dos investigados na Operação Labirinto de Creta, da Polícia Federal, é inocente das acusações de fraude ao fisco e que acredita no “arquivamento das investigações”. Zeca Lopes, como é conhecido, é dono do frigorífico Frigolop, localizado em Terenos.

Segunda fase da operação foi desencadeada na manhã de hoje em Campo Grande, Terenos e São Paulo (SP) em combate a organização criminosa que utilizava empresas do setor frigorífico para cometer fraudes ao fisco de aproximadamente R$ 350 milhões.

O grupo é investigado por crimes de sonegação fiscal, organização criminosa, falsidade ideológica, estelionato qualificado, fraudes previdenciárias e lavagem de dinheiro. Auditores da Receita Federal do Brasil também participam da ação.

Segundo José Trad, na residência de Lopes foi cumprido mandado de busca e apreensão, expedido pela 3ª Vara Federal de Campo Grande, que atinge bens acima de R$ 5 mil. Entre os objetos apreendidos estão televisão e carros.

"O resultado dessa busca demonstrará que nada de irregular existe nos negócios do José Carlos, de modo que a gente acredita que irá lograr êxito no arquivamento dessas investigações”, disse o advogado.

Ainda segundo Trad, empresário não sabia que estava sendo investigado e defesa está se inteirando sobre o que está sendo apurado para se manifestar sobre o caso. Empresário foi surpreendido pelos agentes e colaborou com a busca. 

“Considero desnecessário e abusivo até essas apreensões. É uma violência, uma medida sem sentido retirar objetos de uso íntimo. Vamos demonstrar que os objetos apreendidos foram adquiridos de forma lícita", disse o advogado.

LABIRINTO DE CRETA

Esta ação policial é desdobramento de operação deflagrada em 6 de novembro de 2014, que combateu ações ilegais do frigorífico Beef Nobre, que resultou na condenação de um empresário do setor a 5 anos e 8 meses de prisão por lavagem de dinheiro. Na ocasião, foram cumpridos mandados em Mato Grosso do Sul e interior do Paraná. 

Informações preliminares repassadas na manhã desta sexta-feira pela PF, aponta que um grupo econômico que apresenta faturamentos elevados, tinha ausência ou inexatidão das escrituras contábeis. Os fiscais da Receita conseguiam apurar o crédito tributário deste grupo, mas não conseguia recuperar os valores sonegados, porque o quadro societário era composto por laranjas, pessoas sem capacidade econômica. 

Na ação de hoje, são cumpridos 15 mandados de busca e apreensão na casas dos investigados e empresas ligadas à Organização Criminosa. Participam da operação 100 policiais federais e 18 auditores da Receita Federal. 

*Colaborou Bruno Henrique

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Pai que atirou em filho diz que intenção era assustar o rapaz
EM DEPOIMENTO

Pai que atirou em filho diz que intenção era assustar o rapaz

Concentração química de falsificados é 600% maior que o permitido
AGROTÓXICOS FRONTEIRA

Concentração química de falsificados é 600% maior

Corregedoria investiga participação de mais policiais em furto de cocaína
101 QUILOS

Mais policiais podem ter participado de furto de droga

Quatro acusados de matar homem em centro de Candomblé vão a júri
CAMPO GRANDE

Acusados de matar homem em centro de Candomblé vão a júri

Mais Lidas