Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

FALTA RECURSOS

Prefeitura ajuda com menos
de 30% custeio de idosos

Campo Grande tem 98 mil idosos, 10% da população

20 SET 2017Por IZABELA JORNADA18h:55

A Prefeittura de Campo Grande repassa R$ 1,4 mil por mês para entidades cuidarem de idosos, mas custos ficam em torno de R$ 5 mil apontou pesquisa feita pelo Conselho Regional de Economia (Corecon-MS) e divulgada em audiência pública realizada hoje na Câmara Municipal.

Os custos são com a higiene, alimentação, atendimento médico e lazer e essa defasagem estaria contribuindo o oferecimento de um atendimento abaixo da média e falta de leitos para atender a população que precisa de um asilo.

A população de idosos em Campo Grande é de 98 mil pessoas, o que corresponde a 10% do total de moradores da cidade. Em estrutura, são 17 locais que fazem acolhimento.

O Corecon-MS apontou também que a cidade não tem número de leitos suficientes para atender a demanda e que muitas entidades não trabalham com capacidade máxima por não ter recursos.

Durante a audiência pública de hoje, promovida pela Comissão Permanente de Assistência Social e do Idoso, a presidente vereadora Enfermeira Cida Amaral demonstrou preocupação com a realidade.

Ela citou o caso do Asilo São João Bosco, que pode receber 140 pessoas, mas trabalha com uma média de 85 idosos para não estourar a situação financeira. A entidade recebe repasse da prefeitura.

“O propósito deste trabalho é elaborar informações locais, através do comprometimento social do conselho. Os idosos estão crescendo, as instituições estão atendendo na sua capacidade máxima”, apontou o presidente do Corecon, Thales de Souza Campos.

“Que este diagnóstico possa ser útil para promover políticas públicas para a melhoria do atendimento ao idoso em Campo Grande”, complementou.

Entre os problemas já constatados pelo levantamento é que falta atendimento por parte de dentistas, geriatras e outros serviços. “Por estas e outras argumentações levantadas nesta audiência é que queremos criar a Frente Parlamentar dos Direitos da Pessoa Idosa, para que possamos mostrar a real situação dos idosos de Campo Grande”, defendeu a vereadora. 

Novos encaminhamentos ainda serão elaborados pela comissão de vereadores para tentar diminuir a defasagem no atendimento ao idoso na cidade.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também