Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Remodelação Centro

Comércio quer mais vaga de
estacionamento com obra milionária

Pesquisa aponta que deficiência faz clientes fugirem da região

4 OUT 2017Por RODOLFO CÉSAR18h:45

A Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS) alertou que o Centro de Campo Grande pode receber impulsionamento econômico se projeto Reviva Centro garantir aumento de vagas de estacionamento.

Durante audiência pública realizada hoje na Capital para discutir o projeto, que prevê investimento de US$ 56 milhões, uma das principais preocupações apresentadas pela entidade foi a necessidade de intervenção na área de estacionamento.

Outra regulamentação definida no encontro é que as obras que serão feitas na Rua 14 de Julho só vão começar ano que vem, para que o comércio não seja prejudicado. 

"A preocupação com o estacionamento ocorre principalmente porque temos a pesquisa feita em 2016 pelo IPF (Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS), mostrando insuficiência de vagas", disse Daniela Dias, economista do IPF-MS.

O levantamento indicou que a deficiência é superior a 50% na área onde existe parquímetro. Se os estacionamentos privados foram incluídos na conta, a insuficiência cai para 11,32%.

O quadrilátero que mais preocupa o comércio é entre a Avenidas Mato Grosso e Afonso Pena e as Ruas Calógeras e Rui Barbosa.

"Mais de 40% dos campo-grandenses afirmaram que a falta de vagas influencia muito nas intenções de compra", completou Daniela Dias.

O presidente do Sistema, Edison Araújo, afirmou que a entidade vai acompanhar o desdobramento do projeto e pode pleitear adaptações futuras.

RUA 14 DE JULHO

A rua deve sofrer muitas mudanças, com alteração da fiação, que passará a ser subterrânea, execução de paisagismo, alargamento da calçadas para melhora acessibilidade, entre outras intervenções.

Durante a audiência pública de hoje, a coordenadora especial da Central de Projetos da Prefeitura de Campo Grande, Catiana Sabadin, deu detalhes sobre o planejamento de execuções de obras.

"Das quadras da Avenida Afonso Pena até Cândido Mariano, serão retiradas as faixas de estacionamento. Há planos de arborização e iluminação LED. Neste trajeto, a velocidade dos veículos será bastante reduzida", detalhou.

Está confirmada a extinção de 150 vagas de estacionamento, que serão substituídas por opções verticais. "Empresários até de fora do Brasil já demonstraram interesse (em licitação). A prefeitura agora deve estudar isenções de impostos na construção e posterior manutenção como incentivo", comentou Catiana.  

Com a revitalização, as linhas de ônibus que passam pela 14 de Julho e 13 de Maio devem ser desviadas para as Ruas Rui Barbosa e Calógeras.

Ainda conforme a coordenadora, edital para o Plano de Mobilidade deve ser lançado entre novembro e dezembro e vai dar o tratamento específico destas vias e requalificar estes trajetos. 

Leia Também