Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

taveirópolis

Comerciante vai atender cliente e sofre atentado em loja de autopeças

Tiago Paixão Almeida foi atingido por tiros no rosto e tórax

10 AGO 2017Por RODOLFO CÉSAR E GLAUCEA VACCARI15h:40

Enquanto trabalhava em sua loja de autopeças em Campo Grande, Tiago Paixão Almeida, 30 anos, sofreu atentado hoje. O comércio fica na Rua Eva Lacerda Faria, no bairro Taveirópolis, em Campo Grande. Dois suspeitos, que chegaram no local em uma moto CG 150 cc, abriram fogo por volta das 14h30. Foram ao menos sete disparos.

Essa foi a segunda tentativa de assassinato que Tiago sofreu no período de dois anos.

Um dos atiradores estava com uma pistola .380 enquanto o outro a Polícia Militar suspeita que estava armado com um revólver .38. Três tiros atingiram um portão que serve para fechar a autopeças, outros dois foram na parede e mais dois atingiram o rosto e tórax de Tiago.

O que a PM verificou até o momento é que os homens fugiram logo depois dos disparos e a vítima, mesmo ferida, chegou a sair do comércio e estaria atrás dos atiradores. A Polícia Civil vai ainda investigar se Tiago estaria armado. Na fuga, os suspeitos abandoraram a moto, que tem registro de roubo, e correram a pé.

Um fucionário do comércio utilizou a Hilux do comerciante para levá-lo até a Santa Casa de Campo Grande. Ele estava consciente e conversando.

Policiais militares do 1º Batalhão que atenderam a tentativa de assassinato relataram que Tiago possivelmente conhece os atiradores. Contudo, não foi mencionado o nome deles.

A vítima cumpre pena e está em condicional. O comerciante tem passagens por tráfico de drogas e porte de arma de fogo.

A perícia criminal atendeu também a ocorrência e foram encontradas duas cápsulas de pistola .380.

O pai da vítima também trabalha na loja e estava no hora da emboscada. "Faz 15 dias que abrimos a autopeças nesse endereço. Meu filho tem passagens, mas estava endireitando. Por isso está trabalhando aqui. Ele tinha voltado do almoço e estava sentado", contou Francisco Cavalcante de Almeida, 63 anos.

Policiais militares da Rotac e da Força Tática foram instruídos a realizar rondas para tentar localizar os atiradores.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também