Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Flagrante

Casal é preso por vender remédios controlados de forma clandestina

Investigadores apreenderam estoque de medicamentos em residência

6 JUN 2017Por VÂNYA SANTOS E RENAN NUCCI11h:30

Josemar Cardoso Pierri, de 28 anos, e a esposa Graziele Cordoba de Lima, de 27, foram presos ontem à noite por comercializar medicamentos controlados sem autorização. Flagrante ocorreu no Bairro Aero Rancho, em Campo Grande, depois que a polícia recebeu denúncia de que o casal vendia remédios de maneira clandestina.

De acordo com delegado Cleverson Alves dos Santos, casal passou a fornecer medicamentos controlados a uma mulher de 42 anos, que sofre de depressão e tentou se matar ao consumir vários remédios. Ela passou mal e foi socorrida pelo marido, de 32 anos, que a levou até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Leblon.

O marido passou a monitorar o celular da esposa. E, ontem, ele presenciou um homem indo até a porta de sua casa, entregar uma sacola de medicamentos para sua esposa e ir embora depois de receber quantia em dinheiro.

O homem olhou novamente o celular da esposa, momento em que constatou que ela havia negociado duas cartelas de remédios, sendo uma de Amytril e outra de Fluoxetina. Ele então informou o caso para a Polícia Civil.

Policiais do Setor de Investigação Geral (SIG) começou a monitorar os suspeitos. Uma investigadora entrou em contato com Graziele e simulou interesse em comprar medicamentos. A mulher negociava os produtos, enquanto Josemar se responsabilizava pela entrega.

A policial negociou com Graziele a compra de uma cartela de Amytril e uma de Fluoxetina por R$ 40. O local de entrega seria em frente ao Centro Regional de Saúde do Aero Rancho. Ao comprar os remédios, seus colegas do SIG prenderam Josemar em flagrante.

Na residência do casal, na Rua Monsenhor Sarrion, investigadores se depararam com Graziele e encontraram estoque de medicamentos que os dois não souberam informar a procedência. Eles tentaram alegar que têm depressão e que os remédios teriam sido receitados por médicos.

Delegado Cleverson explicou ainda que na residência foram apreendidas 9 caixas de Clopixol, 12 de Pamergan, 6 de Carbonato de Lítio, 4 de Cloridrato de Fluoxetina, 16 de Amytril, 3 de Santiazepam, uma de Clonazepam, uma de Butilbrometo de Escopolamina e outra de Valproato de Sodico.

Josemar e Graziele foram indiciados pelos crimes de vender medicamento sem receita e de forma irregular.

Leia Também