Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 21 de janeiro de 2019

Escândalos

Campo Grande vive o caos
com abandono, crise política
e jurídica

Prefeito virou réu na Justiça pelo mesmo crime que levou a Câmara a cassar seu mandato

2 NOV 2015Por ADILSON TRINDADE00h:00

Os escândalos de corrupção e troca-troca de prefeito paralisaram a administração de Campo Grande. O caos é generalizado. A cidade nunca esteve tão abandonada por causa da incapacidade de seus gestores. A crise agravou-se com o afastamento do prefeito Gilmar Olarte (PP), depois ocorreu sua prisão por cinco dias, bem como com a volta do prefeito cassado Alcides Bernal (PP) por ordem do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Sem contar com as investigações de vereadores que cassaram Bernal. Eles são suspeitos pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de venderem votos para tirar o Bernal do cargo.

Em consequência do Coffee Break, operação denominada pelo Gaeco, para investigar os vereadores, a Câmara Municipal se tornou alvo fácil dos algozes, sobretudo de Bernal, e frágil para impor o seu poder de fiscalizadora por causa da suspeita de compra e venda de voto dos vereadores.

A situação está cada vez pior porque Bernal está no cargo pendurado por liminar do juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, concedida em maio de 2014, derrubada horas depois pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Mas no julgamento do mérito, no dia 25 de agosto deste ano, a decisão de David foi confirmada pelo TJMS e Bernal retoma o cargo, pela segunda vez.

*A matéria completa está na edição de hoje do jormal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também