Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

Neste ano

Campo Grande notifica 21%
mais pessoas com vírus HIV

Incidência é maior entre gays, HSHs, trans, usuários de droga, profissionais do sexo e presidiários

25 JUL 2017Por Eduardo Miranda e Lucia Morel07h:48

Desde que as notificações de casos de contaminação pelo vírus HIV tornou-se obrigatória pelo Ministério da Saúde, o ano de 2017 tem sido o de maior incidência do novos soropositivos. Só em Campo Grande, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde, foram verificados 223 novos casos neste ano, quantidade 21% maior que a verificada no ano passado. Em Dourados, Três Lagoas e Coxim, também houve substancial aumento no número de soroposotivos. 

Apesar de diferentes dos números apresentados pelo Estado, o controle da prefeitura de Campo Grande também apresentou aumento dos casos: 32% no período de janeiro a maio. Foram 156 novos soropositivos descobertos neste ano, contra 117 na mesma época de 2016. 

Para a coordenadora do Programa IST/Aids e Hepatites Virais de Campo Grande, Denise Leite Lima, são dois os fatos que provocaram este aumento: mais casos no grupo chamado de “população-chave”, da qual estão incluídos gays, HSHs (homens que fazem sexo com outros homens), usuários de droga, profissionais do sexo, pessoas trans e presidiários; e também a maior distribuição dos testes rápidos, que agora são encontrados em todas as unidades de saúde, e não mais somente nos dois únicos centros de referência da Capital. 

Reportagem completa está na edição de hoje do Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também