Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

usavam facão

Bandidos presos roubavam casas
e vendiam objetos no OLX

Dupla é suspeita de cometer, ao menos, oito roubos na Capital

28 JUN 2017Por MARIANE CHIANEZI16h:45

Augusto César Carneiro, de 40 anos, foi preso nesta segunda-feira (26) suspeito de ser responsável por série de roubos nos bairros Centro, Monte Castelo, Vilas Boas e Jardim Santa Fé, em Campo Grande. Ele é apontado como comparsa de Antonio Mota Júnior, de 25, conhecido como “Fuçado”, que foi preso no dia 30 de maio.

Eles usavam revólver calibre .22 e um facão de cortar cana para intimidar vítimas. Os objetos roubados nos assaltos, como joias e eletrodomésticos, eram vendidos no OLX, site popular de classificados.

Conforme o delegado da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubos e Furtos (Derf), Reginaldo Salomão, dupla estava foragida do sistema prisonal desde 18 de março.Além disso, são responsáveis por assaltar e fazer refém a família de um médico, de 41 anos.

Antonio foi preso em flagrante no dia 30 de maio, sendo que com ele foram encontrados uma pistola calibre .32 usada para o assalto à casa do médico, o relógio roubado da vítima, corrente de ouro e um veículo modelo Celta, que estaria com as rodas de um dos carros roubados, um Prisma.

“Carneiro”, como é conhecido Agusto César, foi preso no Bairro Nova Lima e ao receber voz de prisão dos investigadores da Derf reagiu e correu, pulando os muros das residências e depois entrou em luta corporal com os policiais, querendo evitar que fosse algemado.

Alvos dos bandidos seriam casas em áreas mais nobres da cidade e moradores que estavam parados em frente das residências, onde aproveitavam portões apertos para render as vítimas.

HISTÓRICO

Salomão destacou a extensa ficha criminal da dupla e também a violência que agiram durante as ações criminosas. Em um dos casos, um idoso, de 70 anos, foi agredido com uma coronhada na boca r chegou a perder parte dos dentes. Ademais, nos crimes, os bandidos sempre ameaçavam as vítimas de morte e as obrigavam a deitar no chão.

Antônio foi preso em 2012 e possui quatro prisões por furto, três por tráfico de drogas e uma por dano. Ele havia sido condenado a 5 anos e 1 mês de prisão.

Já Carneiro foi fichado em 2008, onde consta pasagens por porte ilegal de arma, violação de domicílio e furto qualificado. Ele tem condenação até o ano de 2026.

 
  • Delegado da DERF, Reginaldo Salomão, em coletiva de imprensa na tarde de hoje (28) - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Leia Também