Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CARGA TRIBUTÁRIA

Alta de imposto pode travar a recuperação do setor imobiliário em Campo Grande

Reajuste do ISS entra em vigor em janeiro

16 DEZ 16 - 05h:00DA REDAÇÃO

Alta da carga tributária sobre a construção civil em Campo Grande pode travar ainda mais o setor imobiliário da Capital.  A avaliação é de representantes de construtoras e do setor de engenharia do Estado, ouvidos pelo Jornal Correio do Estado após decreto publicado pela prefeitura, que reajusta em até 61,3% o Imposto sobre Serviços (ISS) recolhido sobre a atividade da construção na Capital a partir de 1º de janeiro de 2017. Dentre os impactos no setor, os representantes apontam aumentar o valor dos imóveis à venda no município e desacelerar a recuperação do segmento, ainda enfraquecido pela crise econômica, com maior impacto sobre os pequenos empreendimentos. 

“Isso atrapalha o setor de construção de uma maneira geral. Empreendimentos ficam represados, deixam de ser lançados novos e não há geração de empregos. Se há aumento de impostos, isso vai ser repassado para quem está na ponta, que é quem compra. É mais um impacto que acarreta na desaceleração do setor, que poderia, em 2017, estar começando a recuperar crescimento”, avalia o presidente do Sindicato Intermunicipal da Indústria da Construção de Mato Grosso do Sul (Sinduscon-MS), Amarildo Melo.

(*) A reportagem, de Daniella Arruda, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Patrão agride empregada por<br> esquecer porteira aberta
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Patrão agride empregada por esquecer porteira aberta

Visitantes lotam parques em dia de atividades na Capital
UM DIA NO PARQUE

Visitantes lotam parques em dia de atividades na Capital

Cirurgias podem ser marcadas pela internet a partir de amanhã
CASTRAÇÃO DE GATOS

Cirurgias podem ser marcadas a partir de amanhã

BRASIL

Geração atual tem pouco contato com a natureza, alertam especialistas

Mais Lidas