Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

LADÁRIO

Câmara de vereadores conclui cassação de 7 vereadores

Processo começou em novembro de 2018

19 ABR 19 - 17h:22ALINE OLIVEIRA

A Camara de Vereadores de Ladário encerrou na quinta-feira 918), o julgamento de sete vereradores acusados de envolvimento no caso 'Mensalinho', desarticulado pelo Ministério Público e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), em novembro de 2018. 

Os dois últimos parlamentares julgados foram André Caffaro e Vagner Gonçalves, ambos do PPS, que haviam conseguido protelar a votação dos relatórios da Comissão Processante.

Os outros acusados de envolvimento em esquema de corrupção, que perderam os mandatos são:  Agnaldo dos Santos Silva Junior (PTB); Lilia Maria Villalva de Moraes (MDB), Augusto de Campos (MDB), o "Gugu", Osvalmir Nunes da Silva (PSDB), o "Baguá", e Paulo Rogério Feliciano Barbosa (PMN). 

Dos onze vereadores eleitos em 2016 na cidade ladarense, oito acabaram cassados. Em outro processo, Eurípedes Zaurizio de Jesus (PTB), teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral por compra de votos, no mês passado. Já Carlos Anibal Ruso Pedroso (PSDB), eleito prefeito, também perdeu o mandato. 

MENSALINHO

A Câmara de Ladário instalou três Comissões Processantes para apurar as acusações contra o ex-prefeito Carlos Ruso (PSDB), e os sete ex-vereadores. Foram três meses de trabalho. Eles foram presos junto com o ex-secretário de Educação, Helder Botelho, no dia 26 de novembro de 2018.

A investigação do Gaeco e do Ministério Público Estadual apontou que para ter apoio político, Ruso pagava valores mensais ao grupo que variavam entre R$ 1,5 mil e R$ 3,5 mil. O esquema acontecia há mais de um ano. 

Indicação de cargos na Secretaria de Educação, pelos vereadores acusados, também fazia parte do "acordo" e quem cuidava da nomeação era o então secretário de Educação, Helder Botelho. Os parlamentares ainda teriam barrado uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que averiguava denúncias de irregularidades na Saúde.

*Com informações Diário Corumbaense

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Pesquisa mostra que 97% das mulheres já sofreram assédio em transporte

Em audiência sobre tragédia da Chape, Nelson Trad cobra ajuda à familiares
ACIDENTE AÉREO

Em audiência sobre tragédia da Chape, Nelson Trad cobra ajuda à familiares

Nove são presos por suspeita de envolvimento com furto de cocaína em delegacia
INVESTIGAÇÃO EM SIGILO

Nove são presos por envolvimento com furto de cocaína em delegacia

Acusada de negligência, prefeitura renova licença do Alphaville 3
DEZ ANOS

Acusada de omissão, prefeitura renova licença do Alphaville

Mais Lidas