Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PATRULHA DA CIDADE

Bueiro a céu aberto deixa morador indignado “parece novela"

Bueiro sem tampa está na Avenida Zahran com a Rua Spipe Calarge
18/06/2019 09:32 - BRUNA AQUINO


 

Morador está indignado com uma situação que é bem corriqueira na região: um bueiro a céu aberto em uma das avenidasa mais movimentadas de Campo Grande, a Eduardo Elias Zahran bem na esquina com a Rua Spipe Calarge. A reclamação foi enviada nesta terça-feira (18) através de vídeo (veja abaixo) ao Correio do Estado.

De acordo com relatos do morador que não quis ser identificado, o bueiro está a tanto tempo aberto que parece novela do “vale a pena ver de novo”. Além disso, o leitor contou que as pessoas têm jogado coisas dentro do bueiro e que vai acompanhar até alguém tomar alguma providência. “Vamos acompanhar essa novela até o fim do último capítulo”, contou.

O Correio do Estado entrou em contato com a prefeitura sobre o caso onde informou que equipes da Divisão de Drenagem já estiveram no local e constataram que é um poço de visita da rede telefônica existente no local. A  Secretaria Municipal De Infraestrutura E Serviços Públicos(Sisep) vai notificar a empresa para tomar providências.

E você leitor, caso veja algo nas ruas de Campo Grande, não se intimide. Faça como o nosso amigo leitor e se torne também um colaborador-cidadão. O Correio do Estado está ao seu lado para juntos cobrarmos uma cidade com ruas dignas. Fotografe e envie seu vídeo de até um minuto para nosso canal de comunicação de WhatsApp: (67) 99922-6705. Lembre-se de gravar suas imagens sempre na vertical (com o celular deitado) para melhor visualização do vídeo.

Ajude-nos na Patrulha da Cidade.

 

 

*Matéria editada às 12h28 para acréscimo de informações 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?