Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 14 de dezembro de 2018

DOIS ANOS DEPOIS

Brasileiro acusado de matar Rafaat
é condenado a 35 anos de prisão

Narcotraficante foi executado com armamento antiaéreo

7 DEZ 2018Por GLAUCEA VACCARI14h:16

O brasileiro Jorge Lima dos Santos, acusado pelo assassinato do traficante Jorge Rafaat, apontado como um dos principais chefes do narcotráfico na fronteira, foi condenado a 35 anos de prisão pela Justiça Paraguaia. O crime aconteceu no dia 15 de junho de 2016 e julgamento foi realizado hoje em Assunção.

Lima é apontado como como o atirador que operou arma antiaérea no ataque.

De acordo com o site ABC Color, promotor de Justiça pediu uma sentença de 28 anos de reclusão e mais sete anos como medida de segurança, alegando que havia sólidas evidências que colocaram o acusado no local do crime.

No julgamento, Ministério Público afirmou que Lima estava no Toyota Fortuner usado para matar Rafaat e manipulou a metralhadora antiaérea instalada na parte de trás da caminhonete. Durante o confronto ele foi atingido, deixando rastros na cena do crime.

Lima fez parte das forças da Polícia Militar do Rio de Janeiro até 2011, ano em que teria jurado lealdade do Comando Vermelho. O fato de ter trabalhado nas forças de segurança, segundo os promotores o que comprova que ele tinha preparo técnico para manusear a metralhadora calibre .50, usada na execução.

Depois do tiroteio suspeito conseguiu escapar e foi abandonado por comparsas em hospital de Pedro Juan Caballero, de onde foi transferido para o Hospital Metropolitano em Fernando de La Mora, sendo preso após receber alta. 

A Justiça paraguaia considerou que as provas apresentadas pelo Ministério Público foram suficientes para comprovar a participação de Lima no assassinato e o condenou aos 35 anos de prisão

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também