Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÁFICO DE DROGAS

Bolivianos são presos com 146 kg de cloridrato e pasta base de cocaína

Droga seria levada para Piracicaba, mas foi apreendida em Miranda
08/10/2019 18:36 - GLAUCEA VACCARI


 

Dois bolivianos, de 28 e 38 anos, foram presos em flagrante por transportarem 126,7 quilos de cloridrato de cocaína e 20 quilos de pasta base da droga, na BR-262, em Miranda. 

Conforme informações do site Diário Corumbaense, Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizava barreira de fiscalização, na noite dessa segunda-feira (7), quando aborbou um semirreboque, com placas de Santa Cruz da La Sierra (Bolívia), carregado com sucatas. 

Os dois bolivianos eram ocupantes do veículo e demonstraram nervosismo durante a abordagem, levantando suspeitas dos policiais, que iniciaram vistoria minuciosa.

No interior dos compartimentos estruturais do veículo de carga formado pelo cavalo-trator e semirreboque, foi encontrado um compartimento preparado para o transporte de droga, acionados por comandos eletrônicos, popularmente conhecido como "mocó". Neste local, estavam escondidos 121 tabletes de cloridrato de cocaína e 21 tabletes de pasta base.

O condutor da carreta afirmou que não sabia da existência da droga, no entanto, o passageiro disse que viu a droga ser colocada no compartimento oculto, mas informou não saber a quantidade, o destino, ou os procedimentos que seriam adotados para a entrega do entorpecente.

Novamente questionados, eles assumiram o conhecimento da droga, mas não informaram quanto receberiam pelo transporte do entorpecente, que seria entregue em Piracicaba (SP), alegando que recebem apenas um salário pago mensalmente pelo patrão. 

Dupla foi levada para a Delegacia de Polícia Federal de Campo Grande. 

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!