Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SENTENÇA

Bernal é absolvido de uma das denúncias, mas continua inelegível

Publicação pode ser conferida no Diário Oficial da Justiça
16/07/2019 17:56 - IZABELA JORNADA


O ex-prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) foi absolvido pela Justiça em denúncia que ele era investigado por improbidade administrativa por ter usado mídias sociais e o site da prefeitura da Capital para fazer campanha em 2016. Mesmo com a sentença, Bernal continua inelegível por seis anos e o Ministério Público Estadual (MPE-MS) poderá recorrer da decisão.

A sentença, assinada pelo juiz da 2º Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos David de Oliveira Gomes Filhos pode ser conferida no Diário Oficial da Justiça, publicada nesta terça-feira (16).

Mesmo sendo inocentado por essa acusação, Bernal continua inelegível. Ele teve os direitos políticos cassados em 2018 e não pode assumir a Câmara dos Deputados, mesmo depois de alcançar mais de 40 mil votos para deputado federal.

Se Bernal assumisse, ele pegaria o lugar da deputada federal Bia Cavassa (PSDB) que teve 17.834 votos.

Na sentença, o juiz alegou que todos os candidatos à reeleição fazem a mesma coisa que Bernal fez, utilizar desses meios para fazer a comunicação durante campanha.

O ex-prefeito é presidente da sigla regional e ainda tem outras duas ações que deverá enfrentar na Justiça, a suposta compra de apartamento de, aproximadamente, R$ 2 milhões e do convênios com a Organização Mundial para a Educação Pré-Escolar (Omep) e Sociedade Caritativa e Humanitária (Seleta).

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.