Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INSPEÇÃO

Barragens da Vale em Corumbá não têm sistema de alarme, constata MPT

Subsidiária da empresa explora ferro e manganês na cidade

2 MAR 19 - 15h:49JONES MÁRIO, COM ASSESSORIA

O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) recomendou à Mineração Corumbaense Reunida S.A., empresa subsidiária da Vale, para que instale sistema de sinalização sonora e visual nas Barragens do Gregório (Mina Santa Cruz) e Pé da Serra (Mina Urucum), localizadas em Corumbá.

Segundo divulgado pela assessoria de imprensa do MPT-MS, uma inspeção realizada por peritos no dia 30 de janeiro constatou a falta de dispositivos preventivos, como alarme e iluminação, para advertir trabalhadores e comunidades próximas da área de abrangência dos resíduos sobre o risco de rompimento de barragem.

A Vale explora jazidas de minério de ferro a céu aberto, na Mina Santa Cruz, e jazida subterrânea de manganês, na Mina Urucum. O manganês é o quarto metal mais utilizado no mundo.

A vistoria também identificou a falta de Plano de Ação de Emergência e de estudos sismológicos regionais, indicados no relatório como “requisitos e condições mínimas” para se garantir a segurança e a saúde das pessoas que interagem com o sistema de produção da mineradora.

Os peritos do MPT-MS entrevistaram empregados das mineradoras durante visita às minas, a fim de identificar os processos de trabalho com maior impacto e riscos na produtividade. Registros fotográficos e análise de documentos foram anexados ao relatório.

Conforme a recomendação, uma nova diligência está prevista para maio, a fim de verificar a adequação das irregularidades apontadas no laudo encaminhado à Mineração Corumbaense.

Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Ministério Público Federal (MPF), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil do Estado, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), Prefeitura e Defesa Civil de Corumbá, Polícia Militar Ambiental e Associação de Engenheiros e Arquitetos de Corumbá também participaram da inspeção.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Justiça suspende operações em mais uma barragem da Vale

BRASIL

STJ reduz pena de Elize Matsunaga, condenada por esquartejar marido em SP

Mulher será indenizada em R$ 15 mil depois de ser atingida por toldo de loja
JUSTIÇA

Mulher ferida por toldo de loja será indenizada

Shopping é condenado a pagar R$ 10 mil por falsa acusação de furto
CAMPO GRANDE

Shopping é condenado a pagar R$ 10 mil por falsa acusação de furto

Mais Lidas