Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROTESTO

Bancários atrasam abertura de agência e pegam clientes de surpresa

Categoria é contra medida que amplia carga horária e permite funcionamento de bancos aos sábados
21/11/2019 11:44 - BRUNA AQUINO


 

Incomodados com a lei que autoriza o funcionamento dos bancos aos sábados, funcionários de algumas agências de Campo Grande atrasaram a abertura em uma hora em protesto contra a normativa. Sem aviso prévio, clientes que chegaram até duas horas antes do expediente normal, que seria 11h, foram pegos de surpresa.

"Não houve aviso. Foi um desrespeito com o consumidor pagador de impostos. Sempre sobra para os mais pobres. Eu concordo com a lei. O importante é o emprego. Abrir mais cedo e no sábado ficaria muito melhor para a população", disse ao Correio do Estado o eletricista Gilberto Lemes, 56 anos.

A doméstica Maristela Joca, 58 anos, também foi surpreendida. "Está bem demorado, não tinha aviso de que a agência ia demorar para abrir. Contudo, acho errado a medida do governo. Tem que ser o horário normal deles. Sobre hoje, vou esperar, não sei se vou conseguir, mas vou esperar".

O Sindicato dos Bancários entende que a Medida Provisória aprovada pelo presidente Jair Bolsonaro, que ainda aumenta a carga horária da categoria de seis para oito horas diárias, viola a convenção coletiva.

A Constituição Federal, conforme a entidade de classe, prevê a superioridade dos acordos entre patrões e funcionários em relação às leis.

“Todo momento este governo está retirando direitos dos trabalhadores. Agora, essa medida desrespeita acordo selado entre os bancos e os representantes da categoria bancária. Esse acordo foi aceito pelos bancos e precisa ser respeitado, é uma questão legal. Não podemos aceitar essas mudanças pacificamente”, comenta a presidente do sindicato, Neide Rodrigues.

Felpuda


Certa pré-candidatura à Prefeitura de Campo Grande nasceu com grandes brechas que certamente serão usadas pelos adversários no período da campanha eleitoral, segundo voz corrente nos bastidores políticos. Uma delas: como o postulante vai dizer que fará boa administração se no período em que administrou conhecida instituição passou boa parte do tempo reclamando de crise financeira e ameaçando fechar as portas?