CAMPO GRANDE

Baleado, jovem implora de joelhos para sogro não ser executado por motoqueiro

Polícia ainda busca motivação de entregador de pizza
24/06/2019 09:13 - RAFAEL RIBEIRO


 

Um homem que trabalha como entregador de pizza, de 33 anos, é acusado pela polícia de balear um jovem, de 20, e tentar matar seu sogro, em crime ocorrido na noite de domingo (23), no bairro Silvia Regina, região oeste de Campo Grande.

O crime ainda está sendo melhor esclarecido. Em depoimento, a mulher da vítima disse que iria encontrar o ferido com o pai quando viram o motoqueiro se aproximar do Monza preto em que ele estava e efetuar dois disparos, que lhe atingiram peito e cabeça.

Soa incrível, mas mesmo ferido o jovem tentou fugir, acelerando o carro e perdendo o controle logo em seguida, batendo e derrubando um poste.

Diante da cena de horror, a namorada não se conteve e começou a gritar, chamando a atenção do atirador, que engatilhou a arma e mirou no pai. O alvo inicial, já bastante ferido, então se ajoelhou e pediu clemência, o que deve ter surtido efeito.

O jovem foi socorrido por um morador do local até um pronto-socorro da região e a polícia identificou o atirador. Em sua casa, descobriu com a mulher dele que ele passara por lá minutos antes, disse que havia feito "uma besteira" e fugiu

O caso foi registrado como tentativa de homicídio. As causas ainda são apuradas. A vítima permanecia internada e o autor não fora localizado até a publicação desta reportagem.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".