quarta, 18 de julho de 2018

tempo seco

Baixa umidade aumenta focos de queimadas na Capital e MS

No Estado, cresceu de 580 em 2014 para 758 agora a quantidade de focos entre janeiro e julho

6 AGO 2015Por DA REDAÇÃO00h:00

A baixa umidade relativa do ar, acompanhada de dias de estiagem, trouxe ao Estado aumento de queimadas, colocando Mato Grosso do Sul entre os 10 primeiros no ranking nacional na quantidade de focos de calor. Foram 758 registros de janeiro a julho de 2015, contra 580 no ano passado, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. Somente nos cinco primeiros dias de agosto, houve a constatação de 160 focos  incêndio, aumento chega a ser de 220% em relação ao mesmo período do mesmo mês em 2014.

Até o dia 30, em Campo Grande, houve a verificação de 234 ocorrências, mas apesar da alta quantidade, o muncípio de Corumbá e a região do Pantanal aparecem entre as cidades brasileiras com mais focos de incêndio:  foram 17 nas últimas 48 horas, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), por meio do monitoramento de queimadas e incêndio do Brasil. De acordo com o Major Luidson Noleto, chefe de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, as queimandas urbanas também aumentaram e correspondem a 75% dos registros na Capital. 

O relatório do Inpe também apresenta um número ainda maior, e somente de focos de fogo foram 1.357 mil em julho, enquanto em 2014 houve 907 príncipios de incêndios, no mesmo espaço de tempo.  

*A reportagem, de Anny Malagolini, está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado.

 

Leia Também