PRAÇA DO PAPA

Arraial de Santo Antônio tem Munhoz e Mariano nesta sexta

Tradicional festa começou ontem e segue até o sábado
14/06/2019 13:00 - GLAUCEA VACCARI


 

A 17ª edição do Arraial de Santo Antônio de Campo Grande continua nesta sexta-feira (14), a partir das 18h na Praça do Papa, com entrada gratuita. No segundo dia de festa, a atração principal é a dupla Munhoz e Mariano. 

Nesta quinta-feira (13), abertura do tradicional evento, cerca de 5 mil pessoas prestigiaram a festa, que teve shows da dupla campo-grandense Max e Gabriel, grupo Laço de Ouro e o cantor sertanejo Manutti. 

Hoje, Max Henrique é o primeiro a se apresentar e sobe ao palco a partir das 19h, completando nove anos de estrada. Após o sertanejo, é a vez da dupla João Lucas e Walter Filho, com o seu sertanejo de influências bem características da antiga moda de viola e, por último, a dupla Munhoz e Mariano, responsável pelo hit “Camaro Amarelo"

Ainda nesta sexta-feita são realizadas as apresentações das quadrilhas Pega Fogo, Rede Solidária e Explosão Aquícola. 

No último dia de Arraial, sábado (15), sobem ao palco a dupla David e Guilherme, Brenno Reis e Marco Viola. O cantor sucesso no Brasil e responsável pelo hit “Dona Maria”, Thiago Brava, é quem fecha o Arraial de Santo Antônio de Campo Grande. 

Além das atrações musicais, a festa conta com 28 barracas de alimentos e bebidas, e outras três de artesanato. Além disso, também haverá concurso de quadrilhas juninas.

 A Praça do Papa está localizada na Avenida dos Crisântemos, Vila Sobrinho.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".