SANÇÃO

Governo pode parcelar débitos do Pasep com União

Lei foi publicada no DOE desta terça-feira
16/04/2019 08:54 - RENATA VOLPE


 

Após a Assembleia Legislativa decretar, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), sancionou a lei autorizando o parcelamento de débitos administrados pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional ou pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, das entidades do governo estadual, relativos ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

De acordo com a publicação, fica autorizado realizar o parcelamento de débitos administrados pela PGFN ou pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, relativos ao PASEP, vencidos até a data do decreto, ou seja, hoje (15), inclusive de débitos constituídos ou não, inscritos ou não em Dívida Ativa da União, ainda que em fase de execução fiscal já ajuizada, ou que tenham sido parcelados anteriormente e não foram totalmente quitados.

Cabe a cada entidade, ainda segundo o decreto, ter a responsabilidade de acompanhar a evolução da dívida parcelada, bem como de efetuar os respectivos registros contábeis.

O governo está autorizado a  abrir créditos adicionais ao orçamento, no limite do montante do pagamento. A lei entra em vigor a partir da data de publicação, que é hoje.

A Procuradoria Geral da Fazenda Nacional integra aa Advocacia Geral da União (AGU), e é responsável pela cobrança de débitos não quitados perante a União Federal, como impostos, taxas, contribuições sociais, multas, foro, laudêmio, taxa de ocupação, não se restringindo apenas a cobrança de dividas de natureza tributária.

Já a Receita Federal do Brasil tem atribuições diferentes da Procuradoria, pois lança, fiscaliza e arrecada os tributos e as contribuições previdenciárias federais. Cabe a esta entidade, os os procedimentos relativos à fase administrativa da arrecadação.

O Correio do Estado questionou o governo sobre o valor da dívida, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".