Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÁFICO

Apreensão recorde escancara <br>rota da cocaína dentro do Estado

Ação conjunta entre Federal e PRF barra carga de 889 kg da droga
24/03/2018 07:00 - DA REDAÇÃO


 

A apreensão de um carregamento recorde (para este ano) de 889 quilos de cocaína boliviana, na noite de quinta-feira, em Água Clara, serviu para escancarar a rota da droga, que vem do país vizinho por Corumbá, chega a grandes centros brasileiros como São Paulo e Rio de Janeiro passando por Mato Grosso do Sul e, depois, é encaminhada ao exterior. Em menos de um mês, são mais de 2,7 toneladas de cocaína interceptadas em apenas três apreensões. O entorpecente tinha como destino os portos de Santos (SP) e em uma variação que trouxe surpresa para a polícia, o Porto do Rio (RJ).

De Corumbá aos pontos de embarque internacional, traficantes usam como meios de transporte e camuflagem caminhões-tanque de combustíveis e óleo vegetal, tanques de combustível de grandes veículos e cargas de minérios. A fragilidade do controle nas áreas fronteiriças com a Bolívia e o Paraguai acaba fomentando a estratégia dos traficantes, que, quando descobertos, já estão distantes das faixas de fronteira.

CARREGAMENTO 

Na noite de quinta-feira, por exemplo, em Água Clara, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou uma caminhonete Toyota Hilux que vinha sendo acompanhada por uma equipe da Polícia Federal. O veículo era conduzido por Nelson de Oliveira Leite Falcão, 47, que estava acompanhado de um homem de 35 anos. Ele se identificou como empresário e alegou que viajava prestando serviços a diversas fazendas da região.

Outra equipe da PRF constatou que um caminhão com placa de Guarulhos (SP) fez manobra brusca e estacionou de forma suspeita em um posto de combustíveis. Abordado, o motorista apresentou documentos com indícios de falsificação. Durante averiguação, os policiais perceberam que o caminhão estava registrado em nome de Nelson, abordado na Hilux.

Diante disso, Nelson assumiu a posse do veículo e disse que também prestava serviços para empresa do ramo de celulose. Mas os agentes acionaram os cães farejadores, que rapidamente descobriram compartimento oculto no tanque de combustíveis, onde havia vários tabletes de cocaína e pasta-base que pesaram 889 quilos.

* Leia a reportagem, de Thiago Gomes, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.